:: Página Principal.
:: Documentário da Igreja.
:: O Poder da Santa Missa.
:: O Poder do Santo Rosário
:: Aparições de N. Senhora.
:: A Vida dos Santos.
 
:: As Grandiosas Orações.
:: As Orações e Promessas.
:: As Devoções.
 
:: O Relógio da Paixão.
:: A Divina Misericórdia.
:: A Mediação de Maria.
 
:: A Catequese do Papa.
:: Guerreiros da últ. Ordem.
:: Os Sinais do Apocalipse.
 
:: O Estudo da Liturgia.
:: A Imitação de Cristo.
:: Confessai-vos bem.
 
:: Confissões do Inferno.
:: O Milagre de Lanciano.
:: A Contrição Perfeita.
 
:: Eucaristia ou Nada.
:: Beato João Paulo II.
:: Papa Bento XVI.
 
:: O Catecismo da Igreja.

 

PADRE GABRIELE  AMORTH

Famoso Exorcista da diocese de Roma.

 


 
O Divino Espírito Santo.

www.obradoespiritosanto.com

 

 

CONFISSÕES DO INFERNO
AO MUNDO CONTEMPORÂNEO

4. EXORCISMOS DE 31 DE AGOSTO DE 1975

 

E – Exorcista.

J – Judas Iscariotes.

 

E – Judas Iscariotes, nós, Sacerdotes, ordenamos-te, em nome da Santíssima Trindade (...) diz-nos: sois realmente obrigados a partir? Diz a verdade, só a verdade em Nome (...). Pelo poder de todas estas invocações deves dizer a verdade e só a verdade, e também em nome das sagradas relíquias que estão sobre a tua fronte.

J – Tenho que dizer! Tenho que dizer! Em certa medida, faço parte dos demônios. É a eles que estou agregado. Eu tinha uma posição elevada, tinha uma posição elevada, era Bispo.

 

E – Continua! Diz o que tens que dizer, em Nome (...)!

J – Eu ocupo uma posição superior em relação às outras almas condenadas. Já aqui disse que me deram um canto horrivelmente obscuro no inferno. Como eu invejo... Os outros condenados humanos! Os outros... Em comparação comigo, estão bem. Eu tenho um canto sujo.

 

E – Continua! Diz o que tens a dizer, em Nome (...)!

J – ELA (aponta para cima) bem me avisou. Ela avisou-me. E eu que não lhe dei ouvidos, eu que não lhe dei ouvidos (lança gemidos medonhos).

 

E – Continua! diz a verdade, diz o que tens a dizer, em Nome da Santíssima Virgem!

J - Se eu a tivesse escutado! Seja como for, desprezei-a. Eu não gostava d’Ela! Eu não gostava dessa... (É proibido pelo céu de expressar o palavrão que gostaria)

 

E – Continua! diz a verdade, em Nome da Santíssima Virgem! Diz a verdade Judas, diz o que tens a dizer de sua parte!

J - Para falar a verdade, desde o princípio não me juntei a eles só por causa de Jesus. Eu sonhava com o poder e a realeza, e como nada disso se realizou, fiquei desiludido!

 

E – Continua a falar. Diz o que a Virgem Santíssima, MÃE de DEUS, quer que digas sobre a Igreja. Diz o que tens a dizer, toda a verdade, em Nome (...)!

J – A Igreja Católica encontra-se numa situação grave. Se Eles lá em cima (aponta para cima) não interviessem, não poderia salvar-se. Mas é preciso que estas palavras se cumpram: “Eu estarei convosco todos os dias, até o fim do mundo” (Mt. 28,20). Haverá uma depuração total, uma depuração terrível, que não nos agrada; ouvis?

 

E – Continua! Diz a verdade em Nome (...)!

J - A nossa ação no mundo, especialmente nos últimos tempos, atingiu uma intensidade nunca vista.

 

E – Continua! Diz a verdade em Nome (...)!

J - Pelo menos, desde há mil anos.

 

E – Continua! Diz a verdade e só a verdade! Em Nome da Santíssima Virgem, diz a verdade sobre a Igreja!

J – O Papa, o Papa... É um mártir. De certo modo poder-se-ia dizer que jaz por terra, que deseja morrer. Não deseja morrer na situação em que se encontra. Tortura-o, o pensamento de que o que diz não é publicado no mundo, e é precisamente aquilo que ele não queria, que é publicado pelos seus Cardeais. Em todo o caso, muitos Cardeais, não todos, lá continuam. O Papa tem imensa dificuldade em atuar. Está numa situação muito pior que uma verdadeira prisão. Nós nos agitamos, fazemos tudo o que podemos. Aliás, já fizemos muito.

 

E – Continua, diz a verdade, em Nome (...); e só a verdade!
          J - Privaram-no da sua liberdade... e assim pouco pode fazer. É por isso que falamos dele como um réptil, só capaz de rastejar, e que já não tem uma palavra a dizer, nem à direita, nem à esquerda, nem à frente, nem atrás. São os outros que o fazem, os falsos, os que gostariam de vê-lo desaparecer.

 

E – Continua, e diz a Verdade, toda a verdade, e só a verdade da parte da Santíssima Virgem! Continua a dizer o que tens a dizer da parte do Céu!

J – É preciso rezar pelo Papa. Ele sofre mais do que um mártir. Preferiria ser apedrejado como Santo Estevão. É um grande Papa, apesar de estar forçado ao silêncio. Carrega uma cruz. Poucos são os que atingem a sua altura, embora passe por pequeno e impotente. A princípio cometeu alguns erros, mas há muito que os reconheceu. Agora, porém, tem os pés e as mãos atados e até a língua. Ele clama ao Céu que queria restaurar a Ordem, deseja-o, mas os seus pés e as suas mãos estão atados. Já nada pode fazer.

 

E – Diz a verdade, em Nome (...)

J – Fazem dele o que querem. São lobos que uivam segundo o vento que sopra... O que eles querem... quere-o o povo moderno... a massa. É assim que se tornam populares. Pouco tempo depois, os bons Padres tradicionalistas, que antes nunca tinham posto em dúvida o pensamento do Papa, são induzidos em erro. Mas, o que acontece, é que agora os pensamentos do Papa já não são os seus. Nesta época de terrível confusão, o Papa já não pode fazer praticamente nada. Agora, é preciso que o próprio Deus intervenha... e Ele intervirá, dentro de pouco tempo, em breve.

 

E – Que significado tem em “breve”? Dentro de alguns anos? Diz em Nome (...) toda a verdade!

J - Não, isso não. Esse momento está mais próximo, mais próximo do que pensais.

 

E – Diz a verdade, em Nome da Santíssima Virgem, sobre a Igreja e sobre o Papa! Continua a dizer o que tens a dizer mas só a verdade!

J - O mais doloroso para o Papa é verificar como mesmo os Sacerdotes Tradicionalistas duvidam do seu pensamento, da sua vontade. Ele nada pode fazer. Rodeiam-no de subtilezas. Mesmo que ele quisesse publicar alguma coisa, isso nunca chegaria a sair porque controlam tudo.

 

E – Porque é que o Papa não fala nas audiências; nas audiências públicas? Aí poderia falar livremente.

J - Muitas vezes já nem sequer o pode fazer, já não pode. Muitas vezes mal sabe o que está a dizer. É assim que, então, se dão esses erros e confusões horríveis. É um pobre Papa. A Virgem Santíssima e Cristo têm pena dele. Mas é preciso que ele viva o seu martírio. Há muito que ele preferiria ser morto pelos seus próprios Cardeais a viver assim! Sabe que todos estão contra ele. Sente-o, ele é dotado de uma grande sensibilidade. Tem os nervos muito sensíveis. Não é um Papa enérgico, mas nesta altura também não seria preciso um Papa enérgico. Há muito que o teriam derrubado.

E - Continua a falar a verdade, em nome da Santíssima Virgem. Em nome (...) nós te proibimos de mentir!

J - Fazia parte dos planos de Deus a eleição de um Papa humilde, submisso, abnegado, agora que as coisas estão assim. É preciso que se cumpram as Escrituras. Por isso é que era preciso que viesse agora o Papa Paulo VI. Ele foi realmente o escolhido. Só Eles (aponta para o alto) têm compaixão dele. Mas esta situação não se irá manter durante muito tempo.* O seu martírio em breve terá fim. Mas, para ele, já dura há muito tempo. É que para ele os dias são como semanas, como meses. É preciso rezar por ele, rezar muito mais. É-lhe imensamente penoso ver como a Igreja descarrila e como tudo fica sem consistência. Podeis ter a certeza de que ele prefiriria que tudo se fizesse segundo o antigo estilo. Ele desejaria que este Concílio nunca tivesse sido convocado. Ele bem se apercebe que tem conseqüências terríveis, devastadoras, catastróficas, que já não poderão ser eliminadas. Nem a oração poderá deter os seus efeitos funestos.

E - Continua, diz o que tens a dizer da parte da Santíssima Virgem, sobre a Igreja e o Santo Padre!

J - Era preciso dizer a todos os Bispos que o Papa é influenciado. Mas eles não acreditarão, porque também eles estão cegos. De que lhes serve a erudição e a inteligência, se estão cegos e não crêem. Neste aspecto, nós sabemos ainda mais, sabemos ainda mais que os Bispos.

E - Diz a verdade e só a verdade, em nome da Santíssima Virgem!

J - Eles temem-se mutuamente e têm medo do povo: têm medo de serem rejeitados. Por isso querem dançar ao som do violão do povo, mesmo que ele toque notas falsas.

E - Continua: diz a verdade em nome da Santíssima Virgem!

J - E este violão está de tal modo desafinado que, em breve, já não se poderá tirar das suas cordas qualquer som. E é a isto que se pretende chamar Igreja! Comprendeis? Isto, quer ainda chamar-se Igreja! Uma Igreja maldita, perversa, confusa. Será isto uma Igreja... que em breve ninguém ousará, nem deverá, chamar Igreja!**

E - A frase que disseste “É uma Igreja maldita”, não é da Santíssima Virgem!

J - Não, essa frase é nossa.

E - Diz a verdade e só o que a Santíssima Virgem quer!

J - Apesar de tudo, é a verdade. E decerto modo Ela é que quer que eu diga.

E - Fala em nome da Santíssima Virgem e diz somente a verdade, toda a verdade!

J - Chegamos a um ponto em que, em breve, até as seitas serão melhores que o vosso catolicismo. As seitas, em breve, estarão em melhor posição, pois não possuem a ciência e não são guiadas pelo Espírito Santo, como a Igreja sempre foi. Elas dizem que é o Espírito Santo, mas na realidade o que elas propagandeiam pelo mundo são as suas próprias idéias, da forma que mais lhes agrada.

Há ainda alguns que não querem difundir este gênero de catolicismo; esses gostariam que as coisas se orientassem pela tradição. Eles bem o desejariam, mas são demasiado covardes. A sua covardia é de bradar aos Céus (aponta para cima)!

E - Continua a dizer a verdade, em nome (...)!

J - Se rezassem muito, alguns ainda compreenderiam, mas para muitos já é demasiado tarde. Como o Céu, a Santíssima Virgem e o Santo Padre o lamentam! Os três, Cristo, Santíssima Virgem e o Santo Padre, estão de acordo. Só eles é que estão de acordo. Os Cardeais (pelo menos muitos) não estão. O seu modo de agir e proceder é contrário à vontade d'Eles lá em cima (aponta para cima) e contrário à vontade do Papa. O Papa encontra-se numa situação terrível, terrível!

* Paulo VI morre em 1978, três anos depois deste aviso, com 81 anos.

** Em vez de uma Igreja de Deus, Divina, ficar-se-ia com uma “igreja” humana, dos homens e para os homens. Se tal se concretizasse, já não se poderia falar em igreja

SERÁ O PRÓPRIO DEUS A DERRUBAR O MODERNISMO.

E - Continua a dizer a verdade, em nome da Santíssima Virgem! Diz tudo o que tens a dizer, em nome (...)!

J - Nós tememos o Papa, embora no fundo não o devêssemos temer assim, pois agora o seu Vaticano é dirigido pelos Cardeais. O Papa sofre continuamente, e assim pode salvar mais almas e fazer mais do que nós desejaríamos.

E - Diz a verdade, da parte da Santíssima Virgem, e só a verdade toda a verdade! Continua!

J - Chegaremos a um ponto que o próprio Deus será obrigado a destruir tudo, a destruir o modernismo. E recomeçar-se-á no ponto onde se ficou, no que era antigo, tradicional, no que correspondia à verdade e que é do agrado dos lá de cima (aponta para cima) e não no que foi criado pelos homens.

E - Continua, diz a verdade da parte da Santíssima Virgem e só a verdade...

J - Se o Papa não estivesse seqüestrado e constantemente vigiado, à direita, à esquerda e dos lados, poderia ainda continuar a governar, fazer com que as suas palavras fossem ouvidas. Mas nestes últimos meses as coisas pioraram.

Praticamente nada chegou ao conhecimento público e o que poderia ter saído, foi imediatamente desmentido, manipulado, mudado... até falsificado. Foi falsificado.

Meio algum, por pior que seja, os impede (aos Cardeais) de alcançar o que têm na cabeça. Nada lhes parece ordinário, porque estamos no fim dos tempos. Não estivéssemos nós ao leme e não tivéssemos os Cardeais sob o nosso poder, decerto eles saberiam fazer melhor. Mas porque agitamos tanto os espíritos e temos tantos adeptos da magia negra a fazer das suas, temos os Cardeais, neste momento, totalmente sob o nosso domínio. O melhor que tendes a fazer, é rezar muito ao Espírito Santo. Aliás, tudo isto já foi dito por mim e por Akabor, a propósito da obediência. Fui eu, Judas, que disse: agora já não é obrigado a obedecer.

A OBEDIÊNCIA NA IGREJA

E - Diz a verdade sobre a Igreja, continua, em nome (...). Tu não tens o direito de mentir, em nome (...)!

J - É divertido: a obediência jamais foi elevada tão alto, como atualmente. De repente, a obediência ficou na moda (ri sarcástico).

E - Diz a verdade, somente a verdade, da parte da Santíssima Virgem!

J - Subitamente, todos apelam à obediência, agora, que ela é fácil!

E - Diz a verdade Judas Iscariotes, não aquilo que te apetece, em nome (...)!

J - Isto vem lá de cima. Nós somos obrigados a dizer a maldita verdade. Agora, que é muito fácil - para aqueles que têm a mentalidade moderna, que gostam de ter muito dinheiro e tudo o mais - a obediência veio de súbito à baila como bala de canhão! Antigamente, não tinha de modo nenhum a atualidade que agora subitamente adquiriu!

E - Diz a verdade da parte da Santíssima Virgem e só a verdade!

J - Isso agrada-nos. O que é preciso é que continuem assim. Mas a Eles lá em cima, isso não agrada. Os Seus planos são outros e, no fundo, seriam outros, mas é preciso que o Evangelho se cumpra. Todos os Seus planos têm de se realizar, mesmo no meio de grandes catástrofes, mesmo no meio das maiores confusões e conflitos dos povos.

E - Diz a verdade! Continua a dizer a verdade, da parte da Santíssima Virgem!

J - Todos se apóiam no Bispo, mas os Bispos não podem apoiar-se no Papa, pois nada vem do Papa. Creio que vou terminar.

OS RITOS LITÚRGICOS

E - Diz a verdade, toda a verdade, da parte da Santíssima Virgem, diz o que Ela nos quer transmitir por teu intermédio, Judas Iscariotes! Continua a falar, diz tudo o que tens a dizer e só a verdade da parte da Santíssima Virgem!

J - Em 14 de Agosto, Akabor, teve que falar do Aspergesme, que deveria ser reintroduzido no princípio da Missa. É verdade, é verdade! Assim somos obrigados a fugir da Igreja.

E - Diz a verdade, Judas Iscariotes, diz a verdade da parte da Santíssima Virgem!

J - Se não se fizer, permaneceremos lá dentro. O Sacerdote deveria, como era uso antigamente, aspergir os fiéis com o hissope, de uma ponta a outra da Igreja, e isso obrigar-nos-ia a fugir, a fugir também do povo, das pessoas.

E - Diz a verdade, da parte da Santíssima Virgem, toda a verdade e só a verdade!

J - Nós também procuramos perturbar as pessoas. Quando o Sacerdote, com o hissope, asperge de uma ponta a outra da Igreja, então as pessoas podem rezar melhor. Este rito expulsa também as idéias e os poderes da magia negra.

E - Da parte da Santíssima Virgem, diz a verdade!

J - A cerimônia do Aspergesme, os trinta e três Sinais da Cruz, a Tripla formula “Senhor eu não sou digno”, e, no fim da Missa, a oração a São Miguel Arcanjo, as três Ave-Marias e a Salve Rainha, deveriam ser restabelecidos. A sua supressão foi obra nossa e, em certa medida, obra daqueles que estão em nosso poder.

MISSA TRIDENTINA OU MISSA NOVA?

E - Continua a dizer a verdade, da parte da Santíssima Virgem!

J - Além disso, Eles lá em cima, (aponta para cima) gostam mais da Missa Tridentina que da Missa em alemão e da nova Missa, porque nem tudo pode ser traduzido dum modo absolutamente exato.

E - Referes-te à Missa Tridentina, em Latim? Diz a verdade, diz a verdade Judas Iscariotes, só a verdade, da parte da Santíssima Virgem!

J - Os textos são difíceis de traduzir em alemão.* É assim que aparecem essas palavras inexatas, que tiram muitas graças à Missa. Tudo o que não é exatamente pronunciado como Cristo o quer, obtém menos graças. Especialmente no que se refere à Consagração. As palavras da Consagração têm que ser pronunciadas duma maneira perfeitamente exata. Não se pode mudar uma sílaba. É preciso que tudo seja de uma extrema exatidão e rigor. Sabeis como lá em baixo está tudo perfeitamente regulado? Nem sequer na Igreja Católica, agora, se consegue ter uma regulamentação como a nossa.

* O Latim, como língua morta, não falada, que já não evolui, põe um freio considerável, devido a sua rigidez, às interpretações fantasistas ou às traduções falaciosas, como as que freqüentemente se encontram nos textos em línguas vulgares. Os demônios já se tinham referido concretamente à tradução errada da formula da Consagração. Cfr. pp. 26.

AS FESTAS CATÓLICAS

E - Diz a verdade, da parte da Santíssima Virgem e só a verdade! Continua!

J - As festas... as festas católicas! Tudo está mudado e desorganizado; mudaram-se as datas e as pessoas já não compreendem nada. Antigamente, as pessoas podiam pensar com antecedência: “Agora, vem esta ou aquela festa”... e agora... (ri ironicamente).

E - Diz a verdade, da parte da Santíssima Virgem!

J - Agora, as pessoas já nem sequer sabem quando estas festas se realizam, nem em que data são fixadas. Isto é muito vantajoso para nós e é uma perda insensata para os outros, porque havia festas para as quais as pessoas se começavam a preparar com algumas semanas de antecedência. Agora, já não o podem fazer, ou só muito raramente o fazem, porque já não têm as datas das festas presentes na memória; em cada calendário figura uma data diferente. Como é que quereis que se preparem? As pessoas não podem ir ter com os Bispos ou com os Sacerdotes à Igreja e festejar determinada festa aí, em tal data e de tal maneira e, depois, em casa, sozinhos, celebrarem a festa na antiga data.

E - Diz a verdade, da parte da Santíssima Virgem!

J - No entanto, acreditai-me, mesmo no inferno, são as antigas festas que estão em vigor. Estão em vigor, bem mais em vigor que no vosso mundo. Decerto já vos apercebestes disso com a festa de Nossa Senhora do Monte Carmelo.

TODOS OS SANTOS,
        FIÉIS DEFUNTOS, ALMAS DO PURGATÓRIO

J - Era preciso repor todas as festas no seu devido lugar. Então, essa dos fiéis defuntos, tem também que se lhe diga!

E - Diz a verdade da parte da Santíssima Virgem!

J - As almas do Purgatório encontram-se numa situação terrivelmente desvantajosa. Antigamente ia-se ao cemitério. Cada oração que se fazia, obtinha uma indulgência; deste modo, uma alma podia ir imediatamente para o Céu. Agora isso já não acontece, ou melhor, as pessoas já não são encorajadas nesse sentido. Isso foi suprimido pelo Clero, que afirma que essas indulgências já não têm valor, que só uma é válida, a do dia de Todos os Santos. Que hão-de fazer as almas do Purgatório só com uma única indulgência? Ah! Antigamente libertavam-se milhares e milhares de almas, deveríamos dizer, milhões... e agora?

Agora, encontram-se perante uma terrível perda! Elas gritam por socorro e ninguém lhes acode. Aproxima-se o dia dessa festa. Era preciso esclarecer todas as pessoas a este respeito, mas elas não acreditariam. (ri maldoso com satisfação)

E - Diz a verdade, da parte da Santíssima Virgem!

J - E no fundo era uma coisa tão simples! Bastava ir ao cemitério, lançar um pouco de água benta, dizendo uma vez: “Dai-lhe Senhor, o eterno descanso...”, e, às vezes um Pai-Nosso ou outra oração, conforme o que ocorresse ao espírito de cada um. Sempre que procediam assim, com reta intenção, então, por cada oração, era realmente liberta uma alma. Agora, mesmo os bons, que ainda acreditam nisso, são induzidos em erro, quando se lhes diz: “Tu não podes ganhar esta ou aquela Indulgência, isso já não é valido.” É claro que isso só nos tráz vantagens a nós, os do inferno (ri maldoso).

E - Fala somente da parte da Santíssima Virgem, só a verdade e toda a verdade!

J - E quanto a esta grande e única Indulgência, que ainda se pode ganhar, (a do dia de Todos-os-Santos, segundo os modernistas), muitas pessoas acham os seis Pai Nossos demasiado longos. Além disso, com esta indulgência única, já não são muitas as almas que se libertam. O próprio Deus, Ele lá em cima (aponta para cima) há-de pôr as coisas no seu devido lugar, mas para muitos, já será demasiado tarde, excessivamente tarde.

Devo ainda dizer que este assunto das festas dos Santos tem mais importância do que se pensa. As datas foram rapidamente mudadas, não só as das festas dos Santos como também e muito especialmente as festas em honra da Santíssima Virgem. De fato a festa de 8 de Dezembro manteve-se, mas de que vale isso? Há outras festas igualmente importantes. Citemos, por exemplo, a de Nossa Senhora do Carmelo e outras grandes festas e dias comemorativos. Quando as pessoas não vão à Missa, nesses dias, pedir o auxílio da Santíssima Virgem para a sua vida, recebem também menos graças. Isso representa para elas uma grande perda e para nós um magnífico ganho.

OS SACERDOTES E A GRAÇA

E - Fala somente da parte da Santíssima Virgem e apenas a verdade!

J - Se ao menos eu não fosse obrigado a dizer isto! Eu não queria dizê-lo!

E - Continua em nome (...) toda a verdade!

J - De fato, prefiriria não continuar a falar.

E - Continua da parte da Santíssima Virgem, diz só a verdade, em nome (...)!

J - É bem certo o provérbio (alemão) que diz: “só aquele que nada contra a corrente é que apanha água fresca.” Muitos Sacerdotes encontrar-se-ão em breve num pântano pestilento, fétido e sujo, e nem sequer se aperceberão disso. Deixam que este pântano rodeie os seus corpos, e o que é ainda muito pior, o seu espírito, e acabarão por afundar-se nele. É certo que é muito difícil nadar contra a corrente, mas pelo menos recebe-se água fresca. Essa água fresca representa as graças, e é isto que Eles lá em cima querem que se receba.

Com esta imagem, quer-se sobretudo significar as almas. Obtêm-se mais graças pela Missa Tridentina ou pela Missa latina, do que por aqueles Sacerdotes que já não celebram convenientemente a Missa, pois assim já não há tantas graças. Já não há uma plenitude de bênçãos nestas Igrejas porque estamos lá nós. Dançaremos nelas à vontade e estaremos em breve lá em maior número que as pessoas.

E - Diz a verdade da parte da Virgem Santíssima, em nome (...).

J - Em breve seremos mais numerosos, a dançar no interior dessas Igrejas, do que as pessoas que essas Igrejas podem conter (ri sarcástico e com uma alegria malvada).

E - Diz a verdade, da parte da Santíssima Virgem!

J - Para cada pessoa podemos mobilizar dois ou três demônios, ou mesmo mais, quando se trata duma alma mais piedosa (ri com malvadez).

AS MULHERES NA CAPELA-MÓR A DAR A COMUNHÃO

J - E a leitura voltada para a assembléia? É-nos extremamente vantajosa, mas é-o ainda mais quando é feita por mulheres (ri com maldade).

E - Diz a verdade, em nome de Jesus, Judas Iscariotes!

J - Então, quando as mulheres se colocam à frente, até as pessoas piedosas, homens ou mulheres que desejariam concentrar-se na oração, não deixam de pensar: “Que vestido é que ela traz hoje? Como lhe fica o chapéu? Foi recentemente ao cabelereiro?...” (ri com satisfação maldosa).

E - Diz a verdade, em nome da Santíssima Trindade!

J - Os seus sapatos estão na moda? Estes sapatos são 3 ou 5 centímetros mais altos que os antigos? Usa meias escuras ou claras? (ri a bandeiras despregadas).

E - Judas diz a verdade e só a verdade, da parte da Santíssima Virgem!

J - Não se vê um pouco da sua combinação? (ri sarcástico)

E - Diz apenas, o que a Santíssima Virgem tem para nos dizer, diz somente isso e nada mais! O que acabas de dizer é da tua autoria?

J - De certo modo fui obrigado a dizê-lo. Tive que o dizer, como complemento. No fundo é mesmo assim. É assim que as pessoas pensam e, antes de qualquer outra coisa, reparam na sua figura. Isso é evidente. Antigamente as mulheres usavam véu, mas há muito que se deixaram disso. Mas, mesmo que já não usem véu, o seu lugar não é na capela-mór. O Papa e os Céus (aponta para cima) não querem isso.

E - Diz a verdade da parte da Santíssima Virgem, só a verdade!

J - Mas o pior é quando as mulheres são encarregadas de distribuir a Sagrada Comunhão. Então, já, não há mais graças e bênçãos. É que as suas mãos não são consagradas, são mãos de mulheres. Não quero dizer que o mal esteja no fato de serem mãos de mulheres, mas sim, no fato de não serem consagradas. Cristo escolheu só e unicamente os homens para o Sacerdócio e não as mulheres. Mas é o orgulho, o orgulho, o pecado original dos anjos, a razão disto.*

E - Continua a dizer a verdade, da parte e em nome da Santíssima Virgem.

J - No fundo estas mulheres sentem-se orgulhosas por poderem dar nas vistas a atuar lá à frente. Acreditai! Os Sacerdotes, mesmo os modernos que dentro em breve verão tudo atirado para o caixote do lixo, acabarão por compreender que, com todas as suas teorias e brilhantes inovações, não vão a lado algum. Contudo, não querem voltar atrás, no caminho que tomaram. Por outro lado, também não sabem bem como arranjar as coisas de molde a agradarem às pessoas. E é assim que muitos Sacerdotes chamam uma mulher para a capela-mor. Pensam que é mais um motivo para atrair as pessoas (ri sarcástico), pois as suas Igrejas são ocupadas até um terço da sua real capacidade!

E - Judas Iscariotes, continua a falar da parte da Santíssima Virgem e diz só a verdade!

J - Estão cada vez mais próximos do protestantismo; quer dizer, o protestantismo é, em certa medida, melhor que a Igreja Católica moderna.

E - Diz a verdade da parte da Santíssima Virgem!

J - O protestantismo! Eles não sabem mais nada; eles não sabem mais nada desde que as coisas ficaram assim, mas os católicos!

E - Continua a falar da parte da Santíssima Virgem, Judas Iscariotes!

J - Os protestantes estarão em breve mais próximos de Deus que o catolicismo moderno: Eles não sabem mais, como já disse, mas de certa maneira podem vir a saber. Os homens inteligentes reconhecem que a Igreja Católica, a boa, bem entendido, é a verdadeira Igreja. Muitos converter-se-iam. Mas, na situação em que a Igreja se encontra atualmente, eu diria, ou melhor, nós os do inferno diríamos que o protestantismo em breve se encontrará numa melhor posição.

* Belzebu no Exorcismo de 7 de Novembro de 1977 acrescentaria isto: “ O mundo de hoje quer ser aprovado. Quer pôr as mulheres na capela-mór, no altar, mulheres espampanantes e metediças. E isto apesar da Mãe de Deus nunca ter tido uma função na Igreja, apesar de Cristo não querer que a mulher entre no Santo dos santos, como castigo, porque o pecado original vem de Eva e foi ela que caiu em primeiro lugar, Cristo disse isto um pouco antes de Sua Paixão...”. É preciso lembrar que o ato de dar a Comunhão é em si mesmo um ato de sacerdócio e é por isso que compete normalmente ao Sacerdote.

E - Continua a dizer a verdade, da parte da Santíssima Virgem, e só a verdade!

J - E quanto à pregação! Há lugares onde as homilias são feitas por mulheres. Ele, lá em cima, (aponta para cima), não quer isso.

E - Continua, diz a verdade e só a verdade da parte da Santíssima Virgem!

J - Deus quer que a homilia seja feita por um homem consagrado, porque assim a pregação tem maior efeito sobre os fiéis. Uma mulher não consagrada está longe de ter a mesma eficácia, abstraindo mesmo do fato das pessoas não se concentrarem nas suas palavras.

Uma mulher que prega não pode ser boa, não pode pregar com seriedade, pois se tivesse um espírito sério e fosse boa, não se dedicaria a pregações. A Imitação de Cristo, as virtudes à Cruz e os Santos, são assuntos atualmente pouco abordados na Missa ou nas homilias. Mesmo os Sacerdotes consagrados já não se lhes referem a maior parte das vezes.

E - Continua a dizer a verdade, da parte da Santíssima Virgem e diz só a verdade!

J - Se esta mulher não aprofundar ao máximo o tema da sua pregação, como poderão as pessoas tirar algum proveito dela? Quando, muito, poderão acorrer-lhes pensamentos estranhos. Nem sempre isso acontece, mas dum modo geral pode dizer-se que uma pregação dessas é tempo perdido.  

O PADRE VOLTADO PARA OS FIÉIS

J - O Padre voltado para os fiéis também não é bom, sobretudo para as mulheres. Passa-se o mesmo que com as mulheres na capela-mór. Agora, são as mulheres que se interrogam: como são seus cabelos? Está bem penteado? Terá ido ao barbeiro? Repara, agora tem o cabelo frisado e antigamente, não. Que belos dentes, tem! (ri irônico).

E- Continua a dizer a verdade em nome da Santíssima Virgem e só a verdade!

J - Os paramentos ficam-lhe bem, ele é ainda tão jovem... pena que seja Padre (ri jocoso)... etc... Mas se ele celebrasse voltado para o altar, estes pensamentos não ocorreriam às mulheres: Quando ele se virasse, depois delas terem rezado, já nada disso teria importância. Deus bem sabe porque é que a Missa deve ser celebrada de costas viradas para o público.

O TABERNÁCULO DEVE SER DIGNO
       DAQUELE QUE LÁ RESIDE

E - Diz a verdade, sob as ordens da Santíssima Virgem, e só a verdade! Continua! 

J - O Sacrário devia estar no centro. Que significado tem, ao entrar-se numa Igreja moderna, ser-se primeiro obrigado a procurar o Sacrário? Não se sabe se está à frente, se atrás ou de lado. Em muitas Igrejas constroem-se mesmo Sacrários que não se sabe se são tocas de raposa (ri com malvadez)...

E - Diz a verdade e só a verdade, sob as ordens da Santíssima Virgem, Judas Iscariotes!

J - ...se cofres-fortes (mal pode conter o riso).

E - Diz a verdade, Judas Iscariotes, só a verdade, sob as ordens da Santíssima Virgem!

J - Agora há também muitos que fazem Sacrários de qualquer maneira, em ferro. Claro que também poderiam ser utilizados carris do caminho de ferro (ri maldoso).

E - Diz a verdade, só a verdade, em nome (...)!

J - Um tabernáculo - Estais a ouvir-me? - Deve ser dourado. Isto é: nem o ouro, nem as pedras mais preciosas seriam dignas de encerrar o que ele encerra. Estariam bem longe de ser merecedoras do que ele abriga. É uma vergonha, mesmo nós lá em baixo, temos de o reconhecer, é uma vergonha ver as Igrejas e Tabernáculos que os homens constroem.

A DANÇA NOS LUGARES SAGRADOS

E - Diz a verdade, acaba com o riso, diz a verdade sob as ordens da Santíssima Virgem! 

J - E que dizer das Igrejas onde se celebram Missas à tarde ou mesmo de manhã e onde em seguida se realizam bailes! Devo falar de sexo, e não apenas de dança, porque na maior parte dos casos em que há dança, há erotismo. Poderia dizer-se que não há um único baile onde não se cometam pecados, quer corporais, quer espirituais, ou onde não se dê ensejo a que se cometam mais tarde. A dança é invenção nossa. Mas agora são os próprios Sacerdotes católicos a promover estas festas e estas danças. Para que as pessoas ainda vão às suas casas, têm que lhes oferecer estes divertimentos. Então, a palavra de ordem é: cerveja a jorros, dança e música (ri novamente cheio de satisfação).

E - Diz a verdade e só a verdade, em nome (...)!

J - Chegaremos ao ponto, ou melhor, chegamos ao ponto de certos Padres que ainda se dizem católicos, mas que já há muito o não são, chamarem às suas Igrejas adeptos de certas seitas, digamos, da missão pentecostista etc..., para que eles dêem testemunho das suas patranhas. Se não é o Espírito Santo que reina, somos nós (e em certa medida é a magia negra) que reina. E as pessoas estão tão cegas que já não sabem para onde fica o Leste ou o Oeste. Claro que para nós, isto é como “um campo ceifado.” São assim os Sacerdotes que temos atualmente.

A ARTE RELIGIOSA

E - Continua a dizer a verdade, em nome da Santíssima Virgem, e só a verdade, somente as verdade sob as ordens da Santíssima Virgem!

J - Sim, a Santíssima Virgem! Isso também tem que se lhe diga. De fato, coloca-se a sua imagem a um canto ou bem ao fundo, de maneira que se veja o menos possível. Muitas vezes existe uma pequena imagem da Virgem, de mau gosto (se é que se consegue compreender de quem é a imagem). Quanto às imagens modernas, na maioria dos casos não se sabe se se trata da mulher de um “gangster” ou de algum lá de cima (aponta para cima).

E - Sob as ordens da Santíssima Virgem, diz a verdade!

J - Nos lugares onde ainda existem imagens belas da Santíssima Virgem, as pessoas são mais facilmente impelidas à oração. É por isso, que Eles lá em cima, querem que...

E - Continua a dizer a verdade sob as ordens da Santíssima Virgem, diz tudo o que tens a dizer sob as Suas ordens!

J - ... apareçam belas obras de arte, pelo menos imagens boas e belas, que “falem” às pessoas. O Sacrário deve ficar, como já foi dito, no centro, ricamente ornamentado, dourado se for possível, arranjado de tal modo que todo o aspecto da Igreja seja harmonioso. Que não se assemelhe a uma casota de cão, ou (quase gostaria de o dizer) a um curral de porcos (ri sarcástico).

E - Diz a verdade, sob as ordens da Santíssima Virgem! Abdica dessas expressões, que vêm lá de baixo!

J - Vêm lá de baixo, mas fui autorizado a dizê-las (respira alto e com dificuldade).

O SANTÍSSIMO SACRAMENTO DO ALTAR

E - Continua a dizer a verdade, diz tudo o que tens a dizer sob as ordens da Santíssima Virgem! Continua a falar! 

J - O Santíssimo Sacramento: O Santíssimo Sacramento já não é adorado. Está totalmente posto de lado. As exposições do Santíssimo Sacramento são agora raras. Fazem-se ainda em alguns atos de reparação e entre os “tradicionalistas”. Fora disso são muito raras. Este Sacramento... se soubésseis como é Grande!

E - Continua a falar em nome (...)!

J - O Santíssimo Sacramento do Altar! Se soubésseis as bênçãos que jorram, as bênçãos que d'Êle jorravam antigamente, quando era exposto no Sacrário e o povo diante d'Êle, fazia a adoração reparadora! Isso era de grande eficácia para os pecados. Todas essas coisas deixaram de existir e é por isso que também menos almas se salvam. Não quero continuar a falar, não quero falar mais!

O SANTO ROSÁRIO

E - Continua, sob as ordens da Santíssima Virgem, diz tudo o que Ela te encarregou de dizer, mas só a verdade!

J - Tenho de acrescentar o seguinte (respira com grande dificuldade): A grande maioria dos Sacerdotes estão cegos. Somos nós que os cegamos. Mas, com um pouco de boa vontade e com muita oração ao Espírito Santo, acabariam, a pouco e pouco, por compreendê-lo. O Rosário seria então um remédio universal. Porém, também ele foi suprimido em quase todo o lado. Já não está na moda, como se costuma dizer.

E - Continua, sob as ordens da Santíssima Virgem, diz toda a verdade, diz o que tens a dizer!

J - Os Mistérios Dolorosos seriam os mais preciosos dos três. Sem dúvida que todos os são, mas a meditação dos Mistérios Dolorosos contribui mais para a salvação das almas. É por isso que lá em cima (aponta para cima), são considerados os mais preciosos.

O ROSÁRIO E A IMITAÇÃO DE CRISTO.

E - E os outros Mistérios? Fala, em nome (...)!

J - Também são bons. Claro que são bons e dum modo especial os Mistérios Gloriosos, com a dezena que convida à contemplação do Pentecostes, à descida do Espírito Santo. Todos são bons, mas os Mistérios Dolorosos são preciosos pois estão associados à contemplação da Agonia de Cristo no Jardim das Oliveiras, da flagelação, da coroação de espinhos, do carregamento da Cruz e da morte na Cruz.

O livro Imitação de Cristo devia ter sido fermento, devia ter sido alimento, pão para a humanidade. Mas foi rejeitado como o foram milhares de livros que existem. Citemos por exemplo os livros de Agreda, Emmerich, etc... Muitos outros livros sobre a vida dos Santos caíram igualmente no esquecimento.
Mas os livros da Catarina Emmerich e Maria Agreda têm a vantagem de pôr sob os olhos das pessoas a vida de Cristo, dum modo impressionante e de lhes mostrar a pobreza extraordinária em que Jesus Cristo, a Santíssima Virgem e S. José viveram.

Se as pessoas seguissem o seu exemplo, decerto não viveriam tão obcecadas pelo dinheiro, como tantas vezes acontece, e o orgulho não as cegaria tanto. Haviam de compreender que as únicas coisas abençoadas pelo Céu são a humildade, as virtudes e as obras de misericórdia como muito justamente se costuma dizer e, sobretudo, a perfeita Imitação de Cristo e a própria entrega de si mesmo aos lá de cima (resmunga).

E - Continua a dizer a verdade, só a verdade, sob as ordens da Santíssima Virgem!

J - Lúcifer paralisa-me. Já não posso mais, não quero dizer mais nada. Obrigaram-me a falar demais, a mim, Judas Iscariotes. (respira alto e com dificuldade)!

E - Continua a dizer a verdade Judas Iscariotes!

J - A Imitação de Cristo, seria bom; a cruz seria bom. Na cruz está a salvação. Na cruz está a vitória. A cruz é mais forte que a guerra. Oh! Como lúcifer me atormenta por eu dizer estas coisas!

E - Continua a dizer a verdade! Lúcifer vai-te, sai desta mulher! Tu não lhe podes fazer mal, em nome (...)!

J - Ele está nas proximidades.

E - Vai-te Lúcifer, tu não tens nada a fazer aqui! Judas Iscariotes continua! Lúcifer não pode fazer-te mal, em nome (...)!

J - Ele atormenta-me. É unicamente graças a Ela, lá em cima (que me amou intensamente) que ele não me tortura ainda mais terrivelmente no inferno. Sim! Este velho, este louco, este monstro medonho.

E - Continua a dizer a verdade, sob as ordens da Santíssima Virgem, continua a dizer o que Ela nos quer transmitir! Lúcifer não pode fazer-te mal!

J - Ele faz-me mal, mas não me interessa! Ficarei satisfeito se não for obrigado a continuar a falar. Isso só me recorda as minhas próprias maldades. Gostaria de poder voltar atrás, poder voltar atrás (suspira miseravelmente).

A DEVOÇÃO À SANTÍSSIMA VIRGEM

E - Continua, sob a ordem da Santíssima Virgem! Diz o que tens a dizer!

J - A Congregação Mariana era bom, mas agora já o não é. Nos lugares onde ainda existe já não é boa. Aliás, já quase não existe, porque duma maneira geral a Santíssima Virgem foi banida das Igrejas. Atualmente, são muito poucas as pessoas que agem segundo a sua vontade e os seus desejos. Há pouco quem a imite e ainda menos quem pratique a Verdadeira Devoção, segundo S. Luiz Grignon de Montfort. É preciso dizer que ela é difícil. A verdadeira devoção e a oferta de si mesmo não são fáceis.

Nós tudo fazemos para impedir essas coisas. Mas para as pessoas é a melhor coisa que podem fazer: A melhor entre as melhores. Ela (aponta para cima) tem um grande poder, Ela protege os seus filhos como me teria protegido a mim, se eu simplesmente o tivesse querido (geme desesperado).

E - Continua a dizer a verdade, Judas Iscariotes! Lúcifer não pode fazer-te mal, nem impedir-te de falar. Diz o que a Santíssima Virgem tem a dizer-nos, por teu intermédio! Tens de falar sob as Suas ordens, em nome (...).

J - Os cânticos em louvor da Santíssima Virgem, nas Igrejas modernas, ouvem-se ainda uma vez todos os anos bissextos (geme como se estivessem a atormentá-lo).

E - Lúcifer, proibimos-te de fazer mal a Judas Iscariotes ou perturbá-lo! É preciso que ele possa falar!

J - Só se ouvem uma vez todos os anos bissextos e, quando isso ainda acontece, são cânticos que não penetram até o fundo da alma, cânticos que não falam ao espírito. Isso é-nos muito vantajoso porque já muitas almas se salvaram e voltaram ao bom caminho por causa dos cânticos em louvor da Santíssima Virgem. Tomemos por exemplo o cântico “Maria zu lieben” (Para amar Maria). Diz assim: “Tu és a Mãe, quero ser teu filho, só teu, na vida e na morte!” (geme como um miserável). Não! Não quero dizer estas coisas!

E - Diz a verdade, em nome (...)!

J - Quero calar-me!

E - Sob as ordens da Santíssima Virgem, fala, em nome (...)!

J - Quero calar-me... muitos textos, nos países de língua alemã, foram modificados pelos Bispos. O cântico “Milde Königin gedenke!” (Lembra-te doce rainha...) é também um que nós tememos, porque contém esta bela frase: “Deverá o mais pobre dos teus filhos deixar-te sem ser socorrido?” Estas palavras já provocaram, em muitos, bons pensamentos e conseguiram-nos salvar no último momento. Ou então, quando se diz: “Olhai-me pobre e miserável pecador...” Mas para nós, no inferno, é bom que não sejam entoados. É bom, é mesmo muito bom.

E - Diz a verdade, sob as ordens da Santíssima Virgem, diz somente o que a Santíssima Virgem quer!

J - Depois, os cânticos em honra do Santíssimo Sacramento: “Kommet, lobet ohne End” (Vinde, Louvai sem fim). O Stern im Meere, Fürstin der liebe, (Estrela do mar, Soberana do Amor); há e havia centenas de cânticos belos e bons. Mas a Igreja moderna sabe muito bem, isto é, nós sabemos muito bem, por onde devemos começar a destruir na Igreja Católica. Nós somos obrigados, é o velho (lúcifer) que o quer, é ele que fala, é ele que o exige. Nós conseguimos, conseguimos agora o que sempre desejamos. Atingimos o ponto culminante. Estamos no auge. Neste ponto só falta o Aviso. Só falta o Aviso.*

* Trata-se do “Aviso” que foi anunciado pela Santíssima Virgem em Garabandal, em 01 de Janeiro de 1965. (Cf. o Segundo Advento, a Montanha de Garabandal, ed. Tudo Instaurar em Cristo).

O SACERDOTE COMO PREGADOR E O SEU AUDITÓRIO

E - Diz a verdade, sob as ordens da Santíssima Virgem, Judas Iscariotes, diz o que Ela nos quer transmitir por teu intermédio!

J - Em muitos, o que falta é a humildade. Em muitos Sacerdotes de hoje, o que falta é a humildade, porque se fossem humildes não seriam tão covardes. Então, teriam a coragem de proceder bem, de cumprir os seus deveres, mesmo com risco de serem humilhados, é por aí que nós temos domínio sobre eles. Muitas coisas dependem dessa virtude.

Atualmente, a humildade é escrita com letras extremamente pequenas, tão pequenas que mal se podem ler. Está ainda escrita em poucos, mas só em muito poucos é que está gravada com letras maiúsculas.

É claro que se esta virtude já não figura nas pregações, como é que quereis que as pessoas a pratiquem ou pratiquem outras virtudes? Onde é que poderá ir buscar a matéria, a inspiração, o bom espírito que deve reinar, a não ser às homilias?

Não foi um grande Santo que disse: “Quando o demônio quer apoderar-se duma alma, não a deixa ir aos sermões?” Mas às homilias que agora se fazem, pode o demônio, tranquilamente, deixar ir as pessoas (ri com uma satisfação).

E - Diz a verdade da parte da Santíssima Virgem e acaba com o riso!

J - Porque são sobretudo anedotas ou elocubrações sobre o Concílio, fazendo o pregador mais o papel de conferencista que de pregador (dá gargalhadas). Apesar disso, as pessoas estão suspensas das suas palavras. Mas por quanto tempo ainda? 

E - Diz a verdade em nome (...)!

J - Bebem as suas palavras e crêem sem hesitar em tudo o que ele diz, porque é Sacerdote e recebeu do Bispo a sua missão. Ele fala assim, lê aquilo todos os Domingos não do púlpito, cá de baixo naturalmente, porque as pessoas... isso também tem que se lhe diga... (volta a rir alto).

E - Diz a verdade, diz o que tens a dizer, da parte da Santíssima Virgem, diz toda a verdade!

J - Um Padre tem... eu não quero falar disso.

E - Fora daqui lúcifer! Tu não podes fazer mal, tu não podes impedir Judas de falar! Judas, diz a verdade, em nome (...)!

J - Um Padre tem maior eficácia quando fala do alto do púlpito, do que em baixo, em frente do microfone. Antigamente, quando os Padres falavam do púlpito, com a sua voz natural, as suas palavras eram muito mais eficazes do que agora, cá em baixo, em frente de cinqüenta alto-falantes.

E - Diz a verdade, toda a verdade, da parte da Santíssima Virgem, só a verdade. Diz o que Ela quer transmitir por teu intermédio, Judas Iscariotes!

J - É assim, e aí é que reside toda a nossa astúcia. Quando as pessoas eram obrigadas a olhar para o púlpito e de certo modo, é lógico que se olhe para quem fala não se distraíam a reparar em todos os chapéus, penteados, casacos ou gravatas. Eram obrigados a olhar para a boca, quando muito para a cabeça do pregador. Mas agora as coisas não se passam assim. Olham para a frente e são distraídos pelos outros.

E - Diz a verdade, da parte da Santíssima Virgem! Lúcifer não te pode perturbar.

J - E a astúcia de tudo isto reside no fato de se terem organizado as coisas de forma a que os Padres já não falem do púlpito. Isso é um fato capital, e representa para nós uma grande vantagem. A idéia de falarem à frente foi engendrada por nós. Fomos também nós que o quisemos. E nós conseguimos, nós conseguimos tudo! Sim, obtemos tudo o que queremos (ri triunfante).

E - Diz a verdade, só a verdade, da parte da Santíssima Virgem. Lúcifer não poderá interromper-te, Judas Iscariotes! Fala em nome (...)!

J - Nós até conseguiremos, aliás já o conseguimos , que as mulheres e sei lá quem mais, possam ir à Missa com vestidos impróprios, sem que os Sacerdotes as mandem embora. Pelo contrário, há alguns que dizem que é preciso praticar o amor ao próximo...

E - Fala! Deita a verdade cá para fora, em nome (...)!

J - Dizem que é preciso praticar o amor ao próximo, que não se pode julgar uma pessoa pela maneira como anda vestida, bem ou impropriamente, mas que o que é preciso é olhar para os sentimentos do coração (ri com uma satisfação maldosa).

E - Diz a verdade, da parte da Santíssima Virgem e só a verdade!

J - Antigamente era diferente. Uma pessoa dessas, ou melhor dizendo, uma “descarada”, era expulsa da Igreja pelo Sacerdote. Antigamente havia ordem, mas agora já qualquer “descarada” pode entrar (ri atrevido).

E - Diz o que a Santíssima Virgem te encarrega de dizer, Judas Iscariotes. Só a verdade, só o que a Santíssima Virgem nos quer transmitir por teu intermédio!

J - O que depois se passa, quando estas pessoas estão na Igreja, é absolutamente normal (interrompe-se).

E - Continua a dizer a verdade em nome (...).

J - Quando algumas pessoas deste gênero estão na Igreja, as cabeças andam num rodopio. Viram-se para a direita, para a esquerda, para a frente, para trás, esticam-se e voltam-se na direção do que desejam ver (ri alto). Com tudo isso, a oração não tarda também a desaparecer (ri maldoso).

E - Diz a verdade, em nome (...)!

J - Então a oração fica suspensa num prego ou presa num mata-moscas (ri irônico).

E - Sob as ordens da Santíssima Virgem, diz a verdade, diz o que a Santíssima Virgem nos quer transmitir!

J - E assim, a oração já nem sequer se pode libertar do mata-moscas; quando muito contorcer-se na rede do sexo (interrompe-se).

O TRAJE ECLESIÁSTICO

E - Diz a verdade em nome (...)!  

J - Era bom que os Sacerdotes voltassem a usar sotaina preta. Nós já fomos obrigados a dizê-lo, as almas danadas já o disseram (*). Quando um Padre se apresenta à paisana em camisa com gravata espampanante (nem é preciso sê-lo) ninguém sabe se é repórter ou... (ri irônico).

E - Diz a verdade da parte da Santíssima Virgem, somente a verdade!

J - ... um diplomata, um diretor (ri a bandeiras despregadas) ou mesmo um conferencista, que...

E - Diz a verdade da parte da Santíssima Virgem, só a verdade!

J - ...que... (ri sarcástico).

E - Diz a verdade da parte da Santíssima Virgem, acaba lá com o riso, deixa-te de graças! Fala agora, sob as ordens da Santíssima Virgem!

J - ... ou qualquer outro “burro” à pesca de bombas eróticas.

E - Diz a verdade e só o que é da vontade da Santíssima Virgem!

J - Tudo está relacionado, tudo está relacionado! (continua a rir com malvadez).

E - Diz a verdade sob as ordens da Santíssima Virgem diz o que Ela quer transmitir, Judas Iscariotes!

J - É precisamente isto...! (resmunga).

E - Fala em nome de Jesus!

J - Não quero!

E - Tens que dizer a verdade! Fala, Judas Iscariotes!

J - Foi o que eu fiz.

E - Tens de falar, sob as ordens da Santíssima Virgem!

J - Quando um Padre se apresenta em camisa desportiva, mesmo elegante, o resultado é que qualquer “galinha choca” pode pensar que ele a deseja. Será este exemplo digno dum Padre? Que exemplo é que dá um Padre nestas condições? Quantos erros não se verificaram nos últimos anos por causa disto? Quanto mal não se poderia ter evitado se os Padres ainda se apresentassem vestidos com o seu verdadeiro, primitivo, antigo, bom e tradicional... (resmunga).

E - Diz a verdade em nome da Santíssima Virgem, diz o que tens a dizer! Fala!

J - ... não apenas bom... (geme).

E - Diz a verdade! Fala! Que a verdade total saia cá para fora! Fala Judas Iscariotes, em nome (...)!

J - ... mas conveniente traje ou...

E - Continua em nome (...)! Lúcifer, tu não tens o direito de o atormentar!

J - ... na sua sotaina (**) sacerdotal, no seu traje... ou nem sei como dizê-lo. Tomemos, como exemplo, os beneditinos. A muitos Padres ficaria muito melhor o hábito de S. Bento do que um fato à civil, desmazelado, que jamais poderá representar o que deve. Olhemos o hábito de S. Francisco com o capuz.
A quantos leigos, a simples vista deste hábito, mesmo ao longe, não sugeriria pensamentos melhores! Nem era preciso estar junto dele. Quantas vezes não se jogou num instante destes a salvação duma alma! Dá-se também o caso de haver pessoas que pensam que se ainda há padres, apesar de tudo, Deus tem de existir, pois do contrário, esses homens não usariam hábito.

E - Continua a dizer a verdade, da parte da Santíssima Virgem, diz o que tens a dizer que é da vontade da Santíssima Virgem, somente a verdade!

J - E a pessoa pensa para consigo: Se é verdade que Deus existe, algo tem de mudar em mim. Que devo fazer? E toda a noite esse pensamento vai ganhando força na sua alma; por fim, essa pessoa decidir-se-á pelo caminho que a conduzirá a um religioso de hábito, a um homem de sotaina negra, ou a um Padre de hábito beneditino... sei lá como é que eles se chamam.

Isto só vos traria benefícios, a vós e ao mundo inteiro. Seria imensamente vantajoso para as almas. Só por isto, milhares e milhares de almas seriam salvas. Quer nos comboios, nos lugares públicos, em toda a parte, onde se encontrasse um Padre assim, quantas mulheres, quantas pessoas, não se comportariam melhor, menos negligentemente, ou seja, de outra maneira (interrompe-se).

E - Diz a verdade, Judas Iscariotes! Diz o que a Santíssima Virgem quer que digas, somente a verdade, em nome (...)!

J - Quantos raios salutares não penetrariam, então, na alma dessas pessoas, com este pensamento: “Ele é Padre, representa a benção Divina, o Santíssimo Sacramento, tem todo o poder. Deus é o seu sustentáculo; nós já nada podemos fazer, todos temos de morrer...” As coisas poderiam muito bem passar-se assim, como eu acabo de contar. Repeti-lo mais uma vez ainda, porque...

E - Diz a verdade Judas Iscariotes, diz o que a Santíssima Virgem te encarrega de dizer. Lúcifer, tu não podes impedir Judas Iscariotes de falar, nem sequer perturbá-lo, em nome (...)!

J - ...porque é horrível quando uma mulher em mini-saia se senta em frente dum Padre à paisana, sem saber que ele é Padre. De fato, ela verifica, quer pelo seu olhar, quer pelo seu comportamento, que ele tem algo de mais elevado. Ela sente-o de certa maneira e isso leva-a a tentar aproximar-se ainda mais dele. Nada disso aconteceria se ele usasse o traje ou hábito religioso. Casos como este, levaram muitos Padres a desviar-se do bom caminho, a casarem e, conseqüentemente, a abdicarem das suas funções sacerdotais. A Igreja Católica está numa situação difícil. Atingiu o ponto zero.

E - Diz a verdade Judas Iscariotes! Lúcifer tu não tens o direito de impedir Judas Iscariotes de falar, nem podes perturbá-lo! Judas Iscariotes, diz o que a Santíssima Virgem te encarregou de transmitir!

J - (Só se percebem sons guturais indefiníveis e uma sensação de estrangulamento).

 (*) Num Exorcismo anterior, que não se encontra publicado nesta obra.

(**) Tudo indica que a batina perturba terrivelmente o Diabo. Daí a grande resistência em dizer o valor do traje.

SÓ A INTERVENÇÃO DE DEUS

E - Fala, Judas Iscariotes, em nome (...)! Lúcifer, tu não tens o direito de perturbar; vai-te, em nome (...)!

J - Só a intervenção do próprio Deus, d'Aquele lá de cima (aponta para cima), pode ainda salvar a Igreja. Temo-la totalmente presa nas nossas malhas. Corre o perigo de perecer. A situação é crítica. Está encurralada pelos modernismos, pelas idéias dos professores, dos doutores, dos Padres que se crêem mais inteligentes que os outros. Só a oração e a penitência a podem ainda ajudar, mas são bem poucos os que as praticam (respira profundamente e com dificuldade).

O INFERNO EM TODO O SEU HORROR

E - Diz a verdade Judas Iscariotes. Lúcifer, tu não tens nada que estar a incomodar. Vai-te deixa Judas Iscariotes falar, em nome (...)! 

J - É uma grande vitória para nós que só já muito poucos Padres falem do inferno! O inferno em todo o seu horror devia pintar-se nas paredes. Mesmo que o fizessem, isso não chegaria para vos dar uma pálida idéia do seu horror. Onde é que encontrais ainda um Padre que fale sobre o inferno, a morte, o Purgatório ou sobre qualquer outro assunto do gênero?

Só muito poucos o fazem! E estes não chegam para o exército, para a multidão de pessoas, que se encontram no caminho da perdição.

E - Continua, Judas Iscariotes! Lúcifer, tu não podes impedir nem perturbar Judas Iscariotes quando ele fala. Ele tem que dizer o que a Santíssima Virgem o encarrega de dizer, em nome (...)!

J- É também um dos motivos principais...

E - Continua a dizer a verdade, o que a Santíssima Virgem quer que digas, Judas Iscariotes!

J - ...um suporte a que nos podemos agarrar. O fato de já não se pregar sobre o inferno, é nos imensamente vantajoso. Devia falar-se dos horrores do inferno, em toda a sua extensão, e isso não bastaria ainda. Já o disse aqui: “O inferno é muito mais horrível que aquilo que vulgarmente se pensa (suspira e chora). 

MISSÕES POPULARES E VERDADEIRA RENOVAÇÃO

J - Se ao menos se pregassem estas coisas e se voltassem a organizar missões populares, muitas pessoas, milhares delas, voltariam a aproximar-se da confissão. Agora, não o fazem. Nós já tivemos ocasião de dizer que as cerimônias penitenciais não podem de modo algum substituir a confissão. Nós tememos as missões populares como a peste, pois já contribuíram para a salvação de muitas almas.

Os pregadores das missões populares falavam sobretudo do inferno, do Purgatório, da conversão e da morte. Isto levava a luz a muitas almas: eram como uma mecha que os Sacerdotes colocavam junto das pessoas e em que elas se apoiavam, pois ninguém ama a morte, ninguém ama o diabo. Todos recuavam assustados e cada qual pensava para consigo: “Se as coisas se passam assim, tenho que retomar o caminho do bem. Ele tem razão.”

Quando um Padre segue a boa e verdadeira tradição, como Eles lá em cima querem (aponta para cima), quando ainda celebra convenientemente a Santa Missa, quando é guiado pelo Espírito Santo, quando é muito piedoso, então as suas bênçãos e a sua influência são muito maiores. O mesmo se pode dizer dos seus sermões. As pregações de muitos Padres são muito superficiais. As suas Missas já não são fonte de bênçãos abundantes, talvez de muito poucas; de qualquer modo, de menos bênção do que no caso de um Padre piedoso. E isso é lógico.

O Céu permite que um Sacerdote que quer realmente o bem, que se deixa guiar pelo Espírito Santo, que se entrega totalmente a Deus e que só faz o que Ele quer (aponta para cima), possua uma eficácia muito maior e exerça uma influência também maior sobre as pessoas que freqüentam a Igreja. O mesmo se passa com a leitura do Evangelho e com as outras leituras, do princípio ao fim da Missa: o poder de tal Sacerdote é muito maior, muito mais extenso, que o de um Sacerdote vulgar, morno ou quase apóstata. Esses já não se interessam, são demasiado covardes para celebrar a Missa e para fazer o bem como deveria ser, segundo a vontade do Céu... Não quero falar... não quero continuar a falar.

E - Judas Iscariotes, diz a verdade, diz o que tens a dizer sob as ordens da Santíssima Virgem! Lúcifer, tu não podes perturbar Judas Iscariotes, tens de ir para o inferno, lá é que é o teu lugar! Judas Iscariotes, continua a dizer o que a Santíssima Virgem quer, diz toda a verdade e só a verdade, diz tudo o que tens a revelar.

J - (Judas geme).

E - Vai-te lúcifer! Tu não podes incomodar, nem impedir Judas Iscariotes de falar! Judas Iscariotes continua em nome (...)!

J - É preciso que apareçam Sacerdotes corajosos. Naturalmente, era melhor que fossem os próprios Bispos a manifestarem-se contra os abusos da Igreja. As pessoas deviam reunir-se. Era preciso que se voltasse a dizê-lo nas práticas, que fosse gritado do alto dos telhados. Devia gritar-se do alto dos púlpitos tudo o que eu, Judas, acabo de dizer. Penso, dum modo especial, no Aspergesme e na bênção do fim da Missa, durante a qual se deve ficar de joelhos! Naturalmente que se deve ficar de joelhos! A posição de pé atrai menos bençãos, pois não agrada a Deus. Ficar em pé, de braços caídos, talvez sem rezar, durante a bênção final, é ofensivo para Deus. É horrível. Nós, no inferno, revoltar-nos-íamos, se pudéssemos, mas evidentemente isso agrada-nos, isso até nos agrada.

A ANTIGA MISSA ENCERRA GRAÇAS INFINDAS

E - Mas fala agora, sob as ordens da Santíssima Virgem, diz apenas o que Ela nos quer transmitir.

J - Se os trinta e três Sinais da Cruz voltassem, que aliás estão relacionados com a vinda de Jesus Cristo! Tudo foi previsto, foi Jesus quem preparou tudo assim, por intermédio do Espírito Santo. Se tudo isso fosse restabelecido, desde a “aspersão” até a oração a S. Miguel Arcanjo, e se voltasse a celebrar a Missa como Cristo quis, então... não quero dizer mais nada.

 

E - Diz a verdade, Judas Iscariotes! Tens de dizê-la, sob as ordens da Santíssima Virgem!

 

J - ...então, milhares de almas que se perdem, que sofrem a condenação eterna, seriam salvas! O erro está na Missa, principalmente na Missa. Uma torrente infinda de graças decorria da Missa, quando ainda era convenientemente celebrada. A Missa é o fator principal. A Missa e a Comunhão são o que há de maior para vós, católicos. Todos os místicos, todas as Aparições da Santíssima Virgem, têm de se apagar perante esta realidade.

A Santa Missa tem um valor infinito, incalculável. É o próprio Cristo que sobe ao altar com toda a sua plenitude de graças, que nós tanto odiamos. Numa Missa devidamente celebrada somos obrigados a fugir. Fugimos logo ao Aspergesme. Servindo-nos de uma imagem, podemos dizer que nos limitamos a espreitar receosos por uma fenda. Pelo contrário, na Missa moderna, podemos dançar à volta, até... nem quero dizê-lo. 

 

ESTARÁ CRISTO AINDA PRESENTE
        EM TODOS OS SACRÁRIOS?

 

E - Diz a verdade, diz o que a Santíssima Virgem quer transmitir, só a verdade!

 

J - ... até na capela-mór, mesmo em frente do Sacrário. Pois já não é em todos os Sacrários que... não quero dizer isto, não quero dizê-lo (rosna com violência).

 

E - Diz a verdade, tens de dizê-la Judas Iscariotes, sob as ordens da Santíssima Virgem! Lúcifer tu não podes perturbá-lo!

 

J - Eles, no Céu, lamentam que a Hóstia consagrada já não se encontre em todos os Sacrários.

 

E - O quê? Diz a verdade, em nome (...)!

 

J - Se ao celebrar a Missa, o Sacerdote já não crê nas palavras da consagração e não tem a intenção de consagrar, então a Hóstia não é consagrada. É apenas pão, como dizem os protestantes e as seitas. A maioria dos Sacerdotes “marimbam-se”, e só fazem o que o povo ordena. Querem ser elogiados no seu modernismo e na sua presunção, que quase lhes salta pela cabeça (resmunga).

 

E - Diz a verdade e só a verdade, diz tudo o que tens a dizer, sob as ordens da Santíssima Virgem, Judas Iscariotes!

 

J - Mais lamentável, para Eles lá em cima (aponta para cima), é as pessoas pensarem que recebem Cristo na Hóstia... quando é apenas pão.
Efetivamente, já não é Cristo. Isso representa uma enorme perda de graças e, assim, desviam-se mais facilmente do bom caminho. Até pelos próprios Sacerdotes são enganados!

 

E - Diz a verdade, Judas Iscariotes, em nome (...)!

 

J - Tenho também a acrescentar que Eles, lá em cima, não gostam que se usem Hóstias castanhas. Só são toleradas em caso de extrema necessidade. Normalmente, deve dar-se preferência a pão branco, até porque Jesus é a Inocência personificada (respira com dificuldade).

 

E - Continua, Judas Iscariotes, diz tudo o que tens a dizer da parte da Santíssima Virgem! Lúcifer não pode incomodar-te. Ele tem de partir para o inferno, onde é o seu lugar. Judas Iscariotes, continua a falar, em nome (...)!

 

J - Se, quando o Papa aparece à varanda, onde tem o hábito de falar, pudesse dizer tudo o que devia e queria, sem influências estranhas, então os homens arrepiavam caminho. Iria ainda a tempo, mas é precisamente disso que ele é impedido. Se ele ao menos pudesse sair, uma vez que fosse, e dizer o que queria... mas antes seria... (rosna).

 

E - Da parte da Santíssima Virgem, diz a verdade, em nome (...)!

 

J - ...calado, se falasse livremente. Ele bem sabe que não pode dar um passo em falso. Preferiria morrer a suportar essa situação mas, por outro lado, tem consciência de que deve levar a sua cruz ao Calvário. Tem que viver a Paixão até ao fim quer queira, quer não. O Papa tem que passar pela prensa como Cristo passou, não na mesma medida, mas tem que passar.

 

E - Continua Judas Iscariotes, diz apenas o que a Santíssima Virgem quer que digas! Lúcifer não te pode perturbar, tem que te deixar falar, em nome (...)!

 

J - Não se acredita no que o Céu anuncia por intermédio das almas privilegiadas, no que Ela (aponta para cima) encarrega as almas privilegiadas de anunciar, em nome de Jesus Cristo. Também já não se acredita nas Aparições do próprio Cristo. Jesus e Sua Mãe já afirmaram bastantes vezes, tal como agora, que na Igreja, tudo está podre, mas os Bispos também o não crêem. Os lugares das aparições, não apenas os recentes como também os mais recentes, nem sequer são reconhecidos. Em Lourdes ou Fátima acredita-se ainda, embora dum modo muito superficial, mas também aí as graças já não correm tão abundantemente, pois os próprios Sacerdotes já não celebram a boa Missa. Há...(interrompe-se).

 

E - Diz a verdade, Judas Iscariotes, em nome (...)!

 

J - Há certos Sacerdotes, mesmo nesses lugares, que gostariam de celebrar uma Missa de sua invenção, pode dizer-se assim para ultrapassar os outros. Neste aspecto, Fátima ocupará em breve o primeiro lugar e Lourdes...

 

E - Diz a verdade, sob as ordens da Mãe de Deus! Lúcifer não tem o direito de te perturbar, nem de te impedir de falar!

 

J - ... e Lourdes não lhe ficará atrás durante muito tempo! Há muitos católicos que já não vão a Lourdes porque acham que é antiquado honrar a Santíssima Virgem e ir em peregrinação.

 

ERROS NA CONDUTA DA IGREJA

 

E - Sob as ordens da Santíssima Virgem, continua a dizer a verdade, diz tudo o que tens a dizer, o que a Santíssima Virgem quer transmitir por teu intermédio! 

 

J - Se todos os Padres, sem exceção, num rasgo de inteligência, reconhecessem como está a Igreja e qual a sua situação, ficariam horrivelmente apavorados. Certamente modificariam a sua conduta, pelo menos um grande número deles. Mas é precisamente este rasgo de inteligência que lhes falta, a eles que crêem que a Igreja é guiada pelo Espírito Santo.

 

E - Diz a verdade da parte da Santíssima Virgem e só a verdade!

 

J - Estes Padres concentram-se sobre a nova Igreja. Afinal de contas, a Igreja são eles, e podem mudar o que lhes agradar, pois o Espírito Santo também reside neles. Deste modo, não se dão conta que desobedecem ao Papa, o chefe da Igreja, e que tudo isso não vem dele. É que a ação do Espírito Santo se exerce através da palavra do Papa e não por uma palavra que eles querem virar e revirar à sua vontade (resmunga).

 

E - Continua Judas Iscariotes, da parte da Santíssima Virgem, diz o que Ela nos quer transmitir, em nome (...)!

 

J - Naturalmente, tudo o que nós divulgamos por intermédio dos cardeais, não vem de modo algum do Espírito Santo. (Notável síntese que desmistifica a vaidade da atual vida Eclesiástica ao mais alto grau).

 

E - Judas Iscariotes, diz a verdade, diz o que a Santíssima Virgem te encarregou de dizer; continua, em nome (...)!

 

J - Alguns deles serão exterminados como a erva daninha - como se diz e tão bem no exorcismo - , mas isso não acontecerá a todos. Alguns compreenderão ainda... Quanto aos Bispos, isso também tem que se lhe diga, os Bispos...

 

E - Diz o que tens a dizer, da parte da Santíssima Virgem!

 

J - Eu também fui Bispo. Se eu pudesse voltar atrás, cumpriria melhor os meus deveres, mil vezes melhor. Os Bispos...

 

E - Da parte da Santíssima Virgem, continua!

 

J - Muitos Bispos, mais valia que nunca tivessem sido! Bem melhor seria que fossem os mais ínfimos dos leigos, em vez de ter a palavra e a cruz porque para eles tudo isso não passa de camuflagem e...

 

E - Diz a verdade, em nome (...), diz o que tens a dizer da sua parte!

 

J - ... põe a máscara do bem, mas por baixo só há vermes e podridão. Até para nós, é...

 

E - Diz a verdade, sob as ordens da Santíssima Virgem, tudo o que Ela quer transmitir por teu intermédio, Judas Iscariotes, em nome (...)!

 

J - Mas é que eu não quero continuar a falar, não quero!

 

E - Tens que falar da parte da Santíssima Virgem. Lúcifer não pode impedir-te de dizer toda a verdade!

 

J - Já falei bastante... (resmunga)

 

O CASO DE ECÔNE

 

E - Fala! Fala da parte da Santíssima Virgem! Tens de dizer tudo o que Ela nos quer transmitir por teu intermédio!

 

J - Já falei bastante, já falei bastante! O que eu disse foi o principal. As pessoas deviam agrupar-se e, apesar de todas as perseguições, Ecône há de triunfar. Esse maldito Ecône triunfará! (rosna).

 

E - Em nome de Jesus, deixa isso! Diz a verdade! Diz o que a Santíssima Virgem quer que digas!

 

J - Apesar de tudo, triunfará! Que é que pensais? De onde é que vêm tantos adeptos? Quiçá, algures do inferno? Esses adeptos vêem nitidamente onde está o bem e como se deve caminhar. Sentem claramente que a imitação de Cristo e o verdadeiro sacerdócio residem unicamente na renúncia, no sacrifício e no caminho da Cruz. Eles bem o sabem, e por isso é que têm tantos candidatos ao sacerdócio. Têm muito mais que os outros, que ainda gostariam de se vangloriar do que têm... mas que em breve perderão a bazófia...

 

E - Continua! Diz o que tens a dizer da parte da Santíssima Virgem!

 

J - Os modernistas bem vêem que o seu jogo está no fim e que Ecône é superior. É por isso mesmo que o combatem (geme).

 

E - Deixa a estola em paz! Tu não podes fazer-nos mal! Continua, em nome de Jesus!

 

J - No fundo, somos nós que estamos naqueles que combatem Ecône. Eles próprios nos ajudam como bons instrumentos. São boas ferramentas, boas e úteis, que não gostaríamos de atirar já fora. As suas teorias são-nos úteis no inferno.

 

E - Continua a dizer a verdade, sob as ordens da Santíssima Virgem, e não aquilo que é do vosso agrado!

 

J - Nós também temos que dizer estas coisas. Tínhamos que referir isto para que se ficasse com uma visão de conjunto. É preciso assinalar bem o encadeamento das coisas, para que todos possam compreender... Mas agora não quero, não quero falar mais!

 

O CELIBATO ECLESIÁSTICO

 

E - Lúcifer não pode incomodar-te. Continua a dizer o que a Santíssima Virgem te encarrega de dizer, em nome (...)!

J - E quanto a confissão... e ao celibato, também há que se lhe diga! Quando um Sacerdote vive em celibato, tanto as mulheres como os homens têm mais confiança nele, sobretudo relativamente à confissão. Se fosse casado podia acontecer que uma dessas bruxas (ri trocista) perguntasse ao marido o que disse a fulana de tal na confissão. Podia sentir-se terrivelmente curiosa em saber o que disse este ou aquele, sobretudo se tivesse interesse para o seu modo de pensar. Mas se o Sacerdote vive e persevera no celibato, se imita a vida virginal de Cristo, então até o mais “burro” compreenderá e qualquer um pode pensar: “Aqui, posso ir. Aqui posso dizer tudo. Nada passará daqui, tudo ficará entre nós. Se eles conseguem guardar o celibato, também são capazes de se calar.”

Mas já não pensam assim em relação aos que são casados. Pelo contrário, a sua opinião é bem diferente: “Este casou-se, não pode guardar o celibato, como poderia... (ri com malvadez)... como poderia calar o bico se já nem é senhor do seu corpo?”

E - Diz a verdade e só a verdade da parte da Santíssima Virgem!

J - Cristo quer o celibato. Não se pode tirar um só I ou til. Os que se casaram devem voltar atrás, arrepender-se do seu erro... Seria melhor que esses arrepiassem caminho, reconhecessem os seus erros, que..., mas justamente...

DISPONIBILIDADE PARA CONFESSAR

E - Continua, diz o que a Santíssima Virgem te encarrega de dizer. Lúcifer não pode perturbar-te. Continua a falar! Diz o que tens a dizer-nos, sob as ordens da Santíssima Virgem, e só a verdade! 

J - Mesmo que as pessoas queiram confessar-se, têm muita poucas ocasiões para o fazer. O tempo destinado à confissão é, no máximo, uma hora. E só vêm alguns velhos (ri irônico).

E - Continua, diz a verdade, diz o que tens a dizer, da parte da Santíssima Virgem!

J - Assim o confessor sente-se desanimado e interroga-se: “Tão poucos e só velhos? Em breve mais valerá desistir de confessar: será que também nós teremos de enveredar pelas cerimônias penitenciais?” E então, quando os velhos terminam de rezar, o Padre sai do confessionário e alguns dos que ainda aguardavam pensam que já não poderão ser atendidos se não se precipitarem para o confessionário. Assim não podem... (dá gargalhadas).

E - Acaba com o riso e diz a verdade da parte da Santíssima Virgem!

J - ...não podem, com medo de que o confessor lhes escape, não podem preparar-se devidamente, como aliás o teriam feito se as condições tivessem sido outras (ri a bandeiras despregadas).

E - Da parte da Santíssima Virgem diz a verdade!

J - Não quero continuar a falar, não quero!

E - Tens que continuar, tens que falar, tens que dizer o que a Santíssima Virgem quer! Tens que transmitir tudo o que Ela quer e nada mais!

J - Se os Padres confessassem horas seguidas, se na Sexta-Feira Santa falassem da morte de Cristo, poderiam nessa altura aproveitar para falar da morte do homem. Poderiam lembrar que todos têm de morrer e que devem preparar a sua alma. Deste modo, milhares de almas poderiam ser arrancadas ao inferno (geme como um miserável).

E - Larga-me, tu não podes arrancar-me a estola, em nome (...)!

J - Nós não queríamos fazê-lo, mas somos obrigados por belzebú e lúcifer, que querem que vos perturbemos.

E - Belzebú e lúcifer tem que desaparecer! Judas Iscariotes, tu, somente tu, fala da parte da Santíssima Virgem, em nome (...)!

J - Nós semeamos a confusão por toda a parte. Desde que belzebú aqui se encontra temos um grande poder. Ele movimenta-se em todas as direções e espalha a confusão por onde pode.

> Continua na Parte VII.

 

 

www.obradoespiritosanto.com

 

 

 

 

       © Últimas e Derradeiras Graças