:: Página Principal.
:: Documentário da Igreja.
:: O Poder da Santa Missa.
:: O Poder do Santo Rosário
:: Aparições de N. Senhora.
:: A Vida dos Santos.
 
:: As Grandiosas Orações.
:: As Orações e Promessas.
:: As Devoções.
 
:: O Relógio da Paixão.
:: A Divina Misericórdia.
:: A Mediação de Maria.
 
:: A Catequese do Papa.
:: Guerreiros da últ. Ordem.
:: Os Sinais do Apocalipse.
 
:: O Estudo da Liturgia.
:: A Imitação de Cristo.
:: Confessai-vos bem.
 
:: Confissões do Inferno.
:: O Milagre de Lanciano.
:: A Contrição Perfeita.
 
:: Eucaristia ou Nada.
:: Beato João Paulo II.
:: Papa Bento XVI.
 
:: O Catecismo da Igreja.

Angelus do Papa Bento XVI

A Virgem Maria é a Mãe de Deus.

01.01.2012 - Cidade do Vaticano: "Que o ano que se inicia seja um tempo de esperança e de convivência pacífica para o mundo inteiro." Estes são os votos formulados por Bento XVI no primeiro Angelus de 2012.


Na liturgia deste primeiro dia do ano ressoa a tríplice benção bíblica: “Te abençoe o Senhor e te guarde. O Senhor faça resplandecer para ti a sua face e te dê a graça. O Senhor volte para ti a sua face e te conceda a paz” (Num 6, 24-26). A face de Deus nós podemos contemplar, ela se fez visível, se revelou em Jesus: Ele é a imagem visível de Deus invisível.

 

E este obrigado também à Virgem Maria, da qual hoje celebramos o maior título, aquele com o qual participa de modo único na história da salvação: ser Mãe de Deus. No seu ventre o Filho do Altíssimo assumiu a nossa carne e nós podemos contemplar a sua glória (cfr Jo 1, 14), sentir a presença de Deus conosco.

Iniciamos assim o novo ano de 2012 fixando o olhar sobre a Face de Deus que se revela no menino de Belém e sobre a sua Mãe Maria, que acolheu com humilde abandono o desígnio divino. Graças ao seu generoso 'sim' apareceu no mundo a luz verdadeira que ilumina cada homem e nos foi reaberta a via da Paz.

Caros irmãos e irmãs, como é de feliz costume, celebramos hoje o 45º Dia Mundial da Paz. Na mensagem que enderecei aos chefes de Estado, aos representantes das nações e a todos os homens de boa vontade, que tem como tema “Educar os jovens à justiça e à paz”, quis enfatizar a necessidade a urgência de oferecer às novas gerações adequados percursos educativos para uma formação integral da pessoa, inclusa a dimensão moral e espiritual (cfr 3). Quis sublinhar, em particular, a importância de educar aos valores da justiça e da paz.

Os jovens olham hoje com uma certa apreensão para o futuro manifestando aspectos da vida deles que merecem atenção, como o desejo de receber uma formação que os prepare em modo mais profundo para enfrentar a realidade, a dificuldade de formar uma família e a encontrar um local estável de trabalho, a efetiva capacidade de contribuir no mundo da política, da cultura e da economia para a construção de uma sociedade que possua um rosto mais humano e solidário.

Convido todos a ter paciência e a constância na procura da justiça e da paz, de cultivar o gosto por aquilo que é reto e verdadeiro. A paz não é um bem alcançado plenamente, mas uma meta a qual todos devemos aspirar e para a qual todos devemos trabalhar.

Rezemos para que, apesar das dificuldades que tornam árduo o caminho, esta profunda aspiração se traduza em gestos concretos de reconciliação, de justiça e de paz. Rezemos também para que os responsáveis das nações renovem a disponibilidade e o empenho de acolher e favorecer este desejo profundo da humanidade. Confiamos estas aspirações à intercessão da Mãe do Rei da Paz, a fim que o ano que inicia seja um tempo de esperança e de pacífica convivência para o mundo inteiro.

Fonte: Boletim da Sala de Imprensa da Santa Sé.

 

 

       © Últimas e Derradeiras Graças