:: Página Principal.
:: Documentário da Igreja.
:: O Poder da Santa Missa.
:: O Poder do Santo Rosário
:: Aparições de N. Senhora.
:: A Vida dos Santos.
 
:: As Grandiosas Orações.
:: As Orações e Promessas.
:: As Devoções.
 
:: O Relógio da Paixão.
:: A Divina Misericórdia.
:: A Mediação de Maria.
 
:: A Catequese do Papa.
:: Guerreiros da últ. Ordem.
:: Os Sinais do Apocalipse.
 
:: O Estudo da Liturgia.
:: A Imitação de Cristo.
:: Confessai-vos bem.
 
:: Confissões do Inferno.
:: O Milagre de Lanciano.
:: A Contrição Perfeita.
 
:: Eucaristia ou Nada.
:: Beato João Paulo II.
:: Papa Bento XVI.
 
:: O Catecismo da Igreja.

ANGELUS DO PAPA BENTO XVI

Amarás o teu próximo como a ti mesmo!

04.09.2011 - Castel Gandolfo - O Santo Padre presidiu a oração mariana do Angelus, deste domingo, no pátio interno da residência pontifícia de verão.

O Papa falou sobre a caridade fraterna na comunidade de fiéis, que encontra sua fonte na comunhão da Trindade. O Apóstolo Paulo afirma que a Lei de Deus encontra a sua plenitude no amor de modo que em nossas relações com os outros, os Dez Mandamentos e outros preceitos se resumem na frase bíblica: "Amarás o teu próximo como a ti mesmo".

O capítulo 18 do Evangelho de São Mateus, sobre a vida da comunidade cristã, ressalta que o amor fraterno chama ao sentido de responsabilidade recíproca. Por isso, se o meu irmão cometer um pecado contra mim, eu devo ter caridade para com ele e ajudá-lo a perceber que o disse ou fez não foi bom.

"Este modo de agir se chama correção fraterna: ela não é uma reação contra a ofensa sentida, mas é movida pelo amor para com o irmão. E se o irmão não me ouvir? Jesus no Evangelho de hoje indica uma graduação: primeiro voltar a falar com o irmão com outras duas ou três pessoas, para ajudá-lo a perceber melhor o que fez; se não obstante isso, ele recusar mais uma vez a observação, será preciso dizer à comunidade; se ele não ouvir nem mesmo a comunidade, será necessário mostrá-lo a desunião que ele provocou, separando-se da comunhão da Igreja" - frisou o Papa.

Bento XVI acrescentou que tudo isso "indica que existe uma co-responsabilidade no caminho da vida cristã: cada um, consciente de seus limites e defeitos, é chamado a aceitar a correção fraterna e ajudar os outros com este serviço particular".

O Papa destacou que outro fruto da caridade na comunidade é a oração comum. Disse Jesus seus discípulos: "onde dois ou três estiverem reunidos em meu nome, eu estou ali no meio deles".

"A oração pessoal é certamente importante, aliás, indispensável, mas o Senhor assegura a sua presença na comunidade que, mesmo se pequena, permanece unida e unânime, porque mostra a própria realidade do Deus Uno e Trino, perfeita comunhão de amor" - sublinhou o Pontífice.

Usando as palavras de Orígenes, um dos Padres da Igreja, Bento XVI concluiu ressaltando que "devemos nos exercitar nessa sinfonia", ou seja, na concórdia dentro da comunidade cristã. "Devemos nos exercitar tanto na correção fraterna, que requer muita humildade e simplicidade de coração, quanto na oração, para que suba a Deus de uma comunidade realmente unida em Cristo".

O Santo Padre concedeu a todos a sua bênção apostólica.

Fonte: Rádio Vaticano.

 

 

       © Últimas e Derradeiras Graças