:: Página Principal.
:: Documentário da Igreja.
:: O Poder da Santa Missa.
:: O Poder do Santo Rosário
:: Aparições de N. Senhora.
:: A Vida dos Santos.
 
:: As Grandiosas Orações.
:: As Orações e Promessas.
:: As Devoções.
 
:: O Relógio da Paixão.
:: A Divina Misericórdia.
:: A Mediação de Maria.
 
:: A Catequese do Papa.
:: Guerreiros da últ. Ordem.
:: Os Sinais do Apocalipse.
 
:: O Estudo da Liturgia.
:: A Imitação de Cristo.
:: Confessai-vos bem.
 
:: Confissões do Inferno.
:: O Milagre de Lanciano.
:: A Contrição Perfeita.
 
:: Eucaristia ou Nada.
:: Beato João Paulo II.
:: Papa Bento XVI.
 
:: O Catecismo da Igreja.

 

S.S. Papa Bento XVI:

ao Angelus, em Castelgandolfo

 

02.08.09: Ano Sacerdotal - ocasião preciosa para aprofundar valor da missão dos presbíteros:

“Uma preciosa ocasião para aprofundar o valor da missão dos presbíteros na Igreja e no mundo”: foi nestes termos que Bento XVI classificou o Ano Sacerdotal em curso, dirigindo-se, neste domingo ao meio-dia, antes da recitação do Angelus, aos fiéis congregados no pátio interior de Castel Gandolfo.

 

Depois de agradecer aos habitantes e às autoridades desta vila lacial as boas-vindas que lhe reservaram, ao chegar, vindo dos Alpes, quarta-feira passada, o Papa apontou os “úteis pontos de reflexão” que nestes primeiros dias de Agosto nos são propostos nas figuras de diversos santos comemorados na liturgia quotidiana…
 

“Ontem era a memória litúrgica de Santo Afonso Maria de Ligório, Bispo e Doutor da Igreja, grande mestre de teologia moral e modelo de virtudes cristãs e pastorais, sempre atento às necessidade religiosas do povo.

Hoje contemplamos em São Francisco de Assis o ardente amor pela salvação das almas, que cada sacerdote deve constantemente nutrir: ocorre de fato o chamado perdão de Assis que ele obteve do Papa Honório II em 1216, depois de ter tido uma visão, quando se encontrava em oração na capelinha da Porciúncola”.
 

Aparecendo-lhe na sua glória, com a Virgem Maria à direita e muitos anjos à volta, Jesus pediu-lhe para exprimir um desejo…
 

“Francisco implorou um perdão amplo e generoso para todos os que, arrependidos e confessados, visitassem aquela igreja. Tendo recebido a aprovação pontifícia, o Santo não esperou nenhum documento escrito, mas correu a Assis e, ao chegar à Porciúncula, anunciou a boa notícia: “Meus irmãos, quero mandar-vos todos para o Paraíso!”
 

Desde então, todos os anos – recordou o Papa – do meio-dia de 1 de Agosto até à meia-noite do dia seguinte, pode-se lucrar, nas condições habituais, a indulgência plenária, mesmo para os defuntos, visitando uma igreja paroquial ou franciscana.
 

Bento XVI prosseguiu a sua referência aos santos que a liturgia recorda nestes dias e que constituem exemplos de vida sacerdotal. Antes de mais o Santo Cura d’Ars, a 4 de Agosto: é precisamente nos 150 anos da sua morte que se está a celebrar o Ano Sacerdotal. O Papa prometeu dedicar a catequese da audiência geral de quarta-feira a “este humilde pároco, que constitui (disse) um modelo de vida sacerdotal”.
 

Evocado também São Caetano de Thiene, “que costumava repetir que “não é com o amor sentimental, mas com o amor dos fatos que se purificam as almas”. E ainda, a 8 de Agosto, São Domingos, do qual se disse que, “quando abria a boca, ou era para falar com Deus na oração ou para falar de Deus”.
 

“Finalmente não posso deixar de recordar a grande figura do Papa Montini, Paulo VI, do qual ocorre, a 6 de Agosto, o trigésimo primeiro aniversário da morte, precisamente em Castel Gandolfo. A sua vida, tão profundamente sacerdotal e rica de tanta humanidade, permanece na Igreja como um dom do qual dar graças a Deus.

Que a Vigem Maria, Mãe da Igreja, ajude os sacerdotes a serem todos totalmente enamorados de Cristo, seguindo o exemplo destes modelos de santidade sacerdotal”.

 

       © Últimas e Derradeiras Graças