:: Página Principal.
:: Documentário da Igreja.
:: O Poder da Santa Missa.
:: O Poder do Santo Rosário
:: Aparições de N. Senhora.
:: A Vida dos Santos.
 
:: As Grandiosas Orações.
:: As Orações e Promessas.
:: As Devoções.
 
:: O Relógio da Paixão.
:: A Divina Misericórdia.
:: A Mediação de Maria.
 
:: A Catequese do Papa.
:: Guerreiros da últ. Ordem.
:: Os Sinais do Apocalipse.
 
:: O Estudo da Liturgia.
:: A Imitação de Cristo.
:: Confessai-vos bem.
 
:: Confissões do Inferno.
:: O Milagre de Lanciano.
:: A Contrição Perfeita.
 
:: Eucaristia ou Nada.
:: Beato João Paulo II.
:: Papa Bento XVI.
 
:: O Catecismo da Igreja.

BENTO XVI NO ÂNGELUS.

IGREJA PRECISA CONTINUAMENTE PURIFICAR-SE

06.12.09, Cidade do Vaticano: Bento XVI assomou ao meio-dia deste domingo à janela de seus aposentos – que dá para a Praça São Pedro – para rezar com os milhares de fiéis, peregrinos e turistas reunidos na praça, neste segundo domingo do Advento, a oração mariana do Ângelus.

Após a oração dominical, o pontífice ressaltou que amanhã, segunda-feira, terá início em Copenhague, na Dinamarca, a Conferência da ONU sobre as mudanças climáticas, com a qual a comunidade internacional pretende contrastar o fenômeno do aquecimento global.

O papa fez votos de que os trabalhos ajudem a identificar ações que respeitem a Criação e promovam um desenvolvimento solidário, fundado na dignidade da pessoa humana e orientado ao bem comum.

"A salvaguarda da Criação exige a adoção de estilos de vida sóbrios e responsáveis, sobretudo para com os pobres e as gerações futuras. Nessa perspectiva, a fim de garantir pleno sucesso à Conferência, convido todas as pessoas de boa vontade a respeitarem as leis colocadas por Deus na natureza e a redescobrirem a dimensão moral da vida humana."

Na alocução que precedeu a oração mariana, comentando o trecho evangélico de hoje, o Santo Padre reiterou a centralidade da Palavra de Deus na história do homem. Ademais, recordou que o pecado insidia sempre os membros da Igreja, que, portanto, precisam continuamente purificar-se.

Nas saudações finais, o pontífice fez um apelo em favor das famílias numerosas.

Efetivamente, antes de pedir à comunidade internacional um compromisso – sobretudo em favor dos pobres e das futuras gerações – Bento XVI se deteve sobre a liturgia deste segundo domingo do Advento, que destaca a figura de João Batista, o precursor do Messias.

O papa observou que o evangelista São Lucas "traça com grande precisão as coordenadas de espaço e tempo de sua pregação". Um fato – ressaltou – que chama a nossa atenção:

"Evidentemente, o Evangelista quer advertir quem lê ou escuta, que o Evangelho não é uma lenda, mas a narração de uma história verdadeira, que Jesus de Nazaré é um personagem histórico inserido naquele preciso contexto."

O pontífice frisou que o segundo elemento digno de nota é que – após essa ampla introdução histórica – o sujeito passa a ser "a Palavra de Deus", apresentada como "uma força que desce do alto e pousa sobre João o Batista".

O papa ofereceu a sua reflexão sobre esse evento; e o fez retomando um escrito de Santo Ambrósio, cuja memória litúrgica celebraremos amanhã, segunda-feira:

"A Palavra de Deus é o sujeito que move a história, inspira os profetas, prepara o caminho do Messias, convoca a Igreja. O próprio Jesus é a Palavra divina que se fez carne no seio virginal de Maria: n'Ele Deus se revelou plenamente, disse-nos e deu-nos tudo, abrindo-nos os tesouros da sua verdade e da sua misericórdia. Prossegue ainda Santo Ambrósio em seu comentário: "Portanto, a Palavra desceu a fim de que a terra, que antes era um deserto, produzisse para nós os seus frutos."

Em seguida, o papa dirigiu o seu pensamento à Virgem Maria, "primícia da Igreja", "jardim de Deus na Terra":

"Mas enquanto Maria é a Imaculada – e a celebraremos como tal depois de amanhã – a Igreja continuamente precisa purificar-se, porque o pecado insidia todos os seus membros. Na Igreja está sempre em andamento uma luta entre o deserto e o jardim, entre o pecado que seca a terra e a graça que a irriga a fim de que produza abundantes frutos de santidade."

Bento XVI pediu aos fiéis que rezem para que a Mãe do Senhor "nos ajude, neste nosso tempo de Advento", a "endireitar" os nossos caminhos, "deixando-nos conduzir pela Palavra de Deus".

Nas saudações em várias línguas aos diversos grupos de fiéis, peregrinos e turistas que lotaram a Praça São Pedro, falando em francês o pontífice saudou os responsáveis pela Comunidade romana de Santo Egidio, que nestes dias estão refletindo sobre as questões ligadas à terceira idade.

Em polonês, agradeceu aos que na Polônia e no exterior rezam pela "Igreja do Leste europeu que está renascendo".

Por fim, saudando os fiéis italianos dirigiu um pensamento especial à "Associação nacional famílias numerosas", que tem como lema "Mais crianças, mais futuro":

"Caros amigos, rezo por vocês a fim de que a Providência os acompanhe sempre em meio às alegrias e às dificuldades, e faço votos de que em todos os lugares se desenvolvam políticas eficazes de apoio às famílias, especialmente às famílias com numerosos filhos."

O Santo Padre concedeu a todos os presentes a sua bênção apostólica.

Fonte: Rádio vaticano.

 

       © Últimas e Derradeiras Graças