:: Página Principal.
:: Documentário da Igreja.
:: O Poder da Santa Missa.
:: O Poder do Santo Rosário
:: Aparições de N. Senhora.
:: A Vida dos Santos.
 
:: As Grandiosas Orações.
:: As Orações e Promessas.
:: As Devoções.
 
:: O Relógio da Paixão.
:: A Divina Misericórdia.
:: A Mediação de Maria.
 
:: A Catequese do Papa.
:: Guerreiros da últ. Ordem.
:: Os Sinais do Apocalipse.
 
:: O Estudo da Liturgia.
:: A Imitação de Cristo.
:: Confessai-vos bem.
 
:: Confissões do Inferno.
:: O Milagre de Lanciano.
:: A Contrição Perfeita.
 
:: Eucaristia ou Nada.
:: Beato João Paulo II.
:: Papa Bento XVI.
 
:: O Catecismo da Igreja.

ÂNGELUS PAPA BENTO XVI

SEJAM FIRMES DIANTE DE UMA CULTURA DE INCERTEZA

05.09.10 - Castel Gandolfo, - Diante de uma "cultura indecisa sobre valores de fundo", o Papa lança aos jovens uma proposta que ele mesmo define como sendo "contracorrente".

Bento XVI, retornando a Castel Gandolfo após a visita a Carpineto Romano, escolheu dedicar a alocução que precede a oração dominical do Ângelus à mensagem para a XXVI Jornada Mundial da Juventude, que se realizará em Madri daqui a menos de um ano. O Pontífice iniciou a sua reflexão pedindo desculpas por seu breve atraso.

"Arraigados e edificados em Cristo, firmes na fé": essa foi a expressão do Apóstolo Paulo na Carta aos Colossenses que Bento XVI escolheu para os jovens. O próprio Santo Padre perguntou-se: quem hoje propõe aos jovens que sejam "arraigados" e "firmes"? Em seguida, convidou-os com veemência a refletirem sobre a cultura que parece ser dominante: uma cultura que define como sendo "indecisa em relação aos valores de fundo, aos princípios sobre os quais orientar e regular a própria vida”.


Bento XVI chamou a atenção das novas gerações, e não somente, para o fato que "se exalta a incerteza, a mobilidade, a volubilidade". E depois observou:

"Na realidade, eu mesmo, pela minha experiência e pelos contatos que tenho com os jovens, sei bem que toda geração, aliás, toda pessoa singularmente considerada, é chamada a fazer novamente o percurso de descoberta do sentido da vida."

Por isso – explicou – escolhi a imagem da árvore. "De fato, o jovem é como uma árvore em crescimento: para desenvolver-se bem precisa de raízes profundas, que, em caso de tempestade de vento, mantenham-na de pé fincada no solo".

Bento XVI falou também de "válida fundação" para que uma casa seja segura. E indicou aos jovens a fundação por excelência:

"A plena maturidade da pessoa, a sua estabilidade interior, têm o fundamento na relação com Deus, relação que passa pelo encontro com Jesus Cristo."

"Uma relação de profunda confiança, de autêntica amizade com Jesus – afirmou o Pontífice – é capaz de dar a um jovem aquilo de que mais precisa para enfrentar bem a vida": "Serenidade e luz interior, aptidão a pensar positivamente, abertura de ânimo para com os outros, disponibilidade a se doar pelo bem, pela justiça e pela verdade."

"Se nenhum homem é uma ilha – acrescentou Bento XVI – muito menos o é o cristão, que descobre na Igreja a beleza da fé partilhada e testemunhada junto aos outros na fraternidade e no serviço da caridade."

Após saudar, em várias línguas, os diversos grupos de fiéis e peregrinos reunidos no pátio interno da residência pontifícia de verão de Castel Gandolfo, o Santo Padre despediu-se dos presentes concedendo a todos a sua Bênção apostólica.

Fonte: Rádio Vaticano.

 

       © Últimas e Derradeiras Graças