:: Página Principal.
:: Documentário da Igreja.
:: O Poder da Santa Missa.
:: O Poder do Santo Rosário
:: Aparições de N. Senhora.
:: A Vida dos Santos.
 
:: As Grandiosas Orações.
:: As Orações e Promessas.
:: As Devoções.
 
:: O Relógio da Paixão.
:: A Divina Misericórdia.
:: A Mediação de Maria.
 
:: A Catequese do Papa.
:: Guerreiros da últ. Ordem.
:: Os Sinais do Apocalipse.
 
:: O Estudo da Liturgia.
:: A Imitação de Cristo.
:: Confessai-vos bem.
 
:: Confissões do Inferno.
:: O Milagre de Lanciano.
:: A Contrição Perfeita.
 
:: Eucaristia ou Nada.
:: Beato João Paulo II.
:: Papa Bento XVI.
 
:: O Catecismo da Igreja.

Catequese do Papa Bento XVI.

Santa Hildegarda
foi exemplo da vida mística e fiel à Igreja.

01-09-2010 - Castel Gandolfo, A tradicional audiência geral de quarta-feira, pela primeira vez na história aconteceu na praça central de Castel Gandolfo, e não dentro do Palácio Apostólico. No verão, quando a presença de fiéis é menos numerosa e o Papa se encontra na sua residência de verão de Castel Gandolfo, longe do calor romano, as audiências acontecem nos Castelos. Hoje, no entanto, mudaram protocolarmente de lugar.Tudo foi organizado em frente ao portão central do Palácio Apostólico.

Queridos irmãos e irmãs,


Em 1998, por ocasião do Ano Mariano, o Venerável João Paulo II escreveu uma Carta Apostólica intitulada Mulieris dignitatem, tratando do papel precioso que as mulheres desenvolveram e desenvolvem na vida da Igreja. "A Igreja – ali se lê –agradece todas as manifestações do 'gênio' feminino surgidas no curso da história, no meio de todos os povos e Nações; agradece todos os carismas que o Espírito Santo concede às mulheres na história do Povo de Deus, todas as vitórias que deve à fé, à esperança e caridade das mesmas: agradece todos os frutos de santidade feminina" (n. 31).


Também naqueles séculos da história que nós habitualmente chamamos de Medievo, diversas figuras femininas destacaram-se pela santidade da vida e a riqueza do ensinamento. Hoje, desejo começar a apresentar-vos uma dessas: Santa Hildegarda di Bingen, que viveu na Alemanha, durante o século XII.

 

Nasceu em 1098, na Renânia, em Bermershein, nas proximidades de Alzey, e morreu em 1179, com 81 anos, não obstante a permanente fragilidade da sua saúde. Hildegarda pertencia a uma família nobre e numerosa e, desde seu nascimento, foi dedicada por seus pais ao serviço de Deus. Aos oito anos, para receber uma adequada formação humana e cristã, foi confiada aos cuidados da professora Giuditta de Spanheim, que havia abandonado a clausura do mosteiro beneditino de São Disibodo. Ia formar um pequeno mosteiro feminino de clausura, que seguia a Regra de São Bento.

 

Hildegarda recebeu o véu do Bispo Ottone di Bamberga e, em 1136, com a morte da Madre Giuditta, então Superiora da comunidade, as irmãs a chamaram para lhe suceder. Desenvolve essa missão explorando suas habilidades de mulher culta, espiritualmente elevada e capaz de afrontar com competência os aspectos organizativos da vida claustral. Alguns anos depois, também devido ao número crescente de jovens mulheres que batiam às portas do mosteiro, Hildegarda fundou outra comunidade, em Bingen, dedicada a São Ruperto, onde transcorre o resto da vida. O estilo com que exercia o ministério da autoridade é exemplar para toda a comunidade religiosa: isso suscitava uma santa emulação na prática do bem, tanto que, como é evidente a partir de testemunhos da época, a madre e as filhas competiam no estimar-se e no servir umas às outras.


Já nos anos em que era superiora do mosteiro de São Disibodo, Hildegarda tinha começado a ditar as visões místicas, que recebia há tempos, ao seu conselheiro espiritual, o monge Volmar, e à sua secretária, uma irmã a que era muito afeiçoada, Richardis di Strade. Como sempre acontece na vida dos verdadeiros místicos, também Hildegarda desejou submeter-se à autoridade de pessoas sábias para discernir a origem das suas visões, temendo que fossem fruto de ilusões e que não viessem de Deus.

 

Destinou-se, por isso, à pessoa que, nos seus tempos, gozava de máxima estima na Igreja: São Bernardo de Claraval, do qual já falei em algumas Catequeses. Ele tranqüilizou e encorajou Hildegarda. Mas, em 1147, ela recebeu outra aprovação importantíssima. O Papa Eugenio III, que presidia um sínodo em Treviri, leu um texto ditado por Hildegarda, apresentando-lhe ao Arcebispo Enrico di Magonza. O Papa autorizou a mística a escrever as suas visões e a falar em público. A partir daquele momento, o prestígio espiritual de Hildegarda cresceu sempre mais, tanto que seus contemporâneos lhe atribuíram o título de "profetiza teutônica".

 

É isto, queridos amigos, o selo de uma experiência autêntica do espírito Santo, fonte de todo o carisma: a pessoa depositária de dons sobrenaturais nunca se orgulha, não os ostenta e, sobretudo, mostra total obediência autoridade eclesial. Todo o dom distribuído pelo Espírito Santo, de fato, é destinado à edificação da Igreja, e a Igreja, através de seus pastores, reconhece sua autenticidade.

 

Falarei novamente, na próxima quarta-feira, sobre esta grande mulher "profetiza", que fala com grande atualidade também hoje a nós, com a sua corajosa capacidade de discernir os sinais dos tempos, com o seu amor pela criação, a sua medicina, a sua poesia, a sua música, que hoje é reconstruída, o seu amor por Cristo e pela Sua Igreja, sofredora também naquele tempo, ferida também naquele tempo pelos pecados dos padres e dos leigos, e tanto mais amada como corpo de Cristo. Assim, Santa Hildegarda fala a nós; conversaremos novamente na próxima quarta-feira. Obrigado pela vossa atenção.

Ao final da audiência, o Santo Padre dirigiu em língua espanhola uma saudação particular aos participantes do 3º Congresso Latinoamericano de Jovens, que acontece em Los Teques, na Venezuela, com o tema "Caminemos con Jesús para dar Vida a nuestros pueblos." Bento XVI convidou os jovens "a colocar seus olhos em Jesus Cristo, o Filho de Deus Vivo":

"Queridos jovens, que estes dias de convivência, oração e estudo os ajudem a encontrar pessoalmente o Senhor e a ouvir a sua Palavra. Vocês não devem se decepcionar, pois Ele tem para todos um projeto de amor e salvação. O Papa está ao lado de vocês e reitera a sua confiança, pedindo a Deus para que os proteja a fim de que sendo autênticos discípulos de Jesus Cristo, vocês vivam os valores do Evangelho e o transmitam com determinação aos que estão ao seu redor, inspirando as pessoas a construírem um mundo mais justo e reconciliado. Vale a pena entregar-se a esta bonita missão", disse o pontífice.

Fonte: Boletim da Sala de Imprensa da Santa Sé.

 

       © Últimas e Derradeiras Graças